Seguidores

sexta-feira, 29 de junho de 2012

Como assim? Saudade insistente....

Saudade.... algo inexplicavel, saudade de ontem, de ante ontem, de um passado não muito distante. Saudade de pessoas que já nem estão mais com a gente... Dificil explicar, mas ela está aí... aqui... em todo lugar..., como se os flashes de memória se intensificassem a cada lembrança de momentos vividos...
Eu sinto saudade do pessoal de Monte Alto, tia, primos, primas, amigos que conquistei naquela cidade.
Eu sinto falta de tios e tias que partiram sem avisar, que estão ao lado de Deus, num lugar onde um dia eu creio que todos vamos nos encontrar.
Eu sinto saudade dos lugares que fui, das coisas que vi, do que senti, do que maravilhosamente vivi. Muitas dessas sensações ao lado do Grandão.
Eu sinto saudade dos encontros furtivos em motéis, na nossa Bat caverna tão escondidinha no meio do mato. Eu sinto falta das mordidas, das muitas batatinhas que comemos.
Lembro com saudade de um banho de ôfuro em que pensei que ia me afogar de tão fundo.
Por isso é tão complicado falar de saudade, pois cada um sente de um jeito.
Há quem chore, quem deteste lembrar do que já passou e dizer que não sente saudade de nada.
Acredite, estou com saudade do Grandão.
Ele me faz uma falta danada!

Veja o que dizem alguns poetas, pensadores, pessoas que sentem saudade:

"O tempo não pára! Só a saudade é que faz as coisas pararem no tempo..."

Quando se ouve boa música fica-se com saudade de algo que nunca se teve e nunca se terá.

Saudade é melhor do que caminhar vazio.

A juventude é uma idade horrível que apreciamos apenas no momento em que sentimos saudade dela.

Pode-se ter saudades dos tempos bons mas não se deve fugir ao presente.

Saudade é um pouco como fome. Só passa quando se come a presença. Mas às vezes a saudade é tão profunda que a presença é pouco: quer-se absorver a outra pessoa toda. Essa vontade de um ser o outro para uma unificação inteira é um dos sentimentos mais urgentes que se tem na vida.

Um dia a maioria de nós irá se separar. Sentiremos saudades de todas as conversas jogadas fora, as descobertas que fizemos, dos sonhos que tivemos, dos tantos risos e momentos que compartilhamos...
Saudades até dos momentos de lágrima, da angústia, das vésperas de finais de semana, de finais de ano, enfim... do companheirismo vivido... Sempre pensei que as amizades continuassem para sempre...
Hoje não tenho mais tanta certeza disso. Em breve cada um vai pra seu lado, seja pelo destino, ou por algum desentendimento, segue a sua vida, talvez continuemos a nos encontrar, quem sabe... nos e-mails trocados...
Podemos nos telefonar... conversar algumas bobagens. Aí os dias vão passar... meses... anos... até este contato tornar-se cada vez mais raro. Vamos nos perder no tempo...
Um dia nossos filhos verão aquelas fotografias e perguntarão: Quem são aquelas pessoas? Diremos que eram nossos amigos. E... isso vai doer tanto!!! Foram meus amigos, foi com eles que vivi os melhores anos de minha vida!
A saudade vai apertar bem dentro do peito. Vai dar uma vontade de ligar, ouvir aquelas vozes novamente... Quando o nosso grupo estiver incompleto... nos reuniremos para um último adeus de um amigo. E entre lágrima nos abraçaremos...
Faremos promessas de nos encontrar mais vezes daquele dia em diante. Por fim, cada um vai para o seu lado para continuar a viver a sua vidinha isolada do passado... E nos perderemos no tempo...
Por isso, fica aqui um pedido deste humilde amigo: não deixes que a vida passe em branco, e que pequenas adversidades sejam a causa de grandes tempestades...
Eu poderia suportar, embora não sem dor, que tivessem morrido todos os meus amores... mas enlouqueceria se morressem todos os meus amigos!!!

Saudade é um sentimento que quando não cabe no coração, escorre pelos olhos.

Saudade
Saudade é solidão acompanhada,
é quando o amor ainda não foi embora,
mas o amado já...
Saudade é amar um passado que ainda não passou,
é recusar um presente que nos machuca,
é não ver o futuro que nos convida...
Saudade é sentir que existe o que não existe mais...
Saudade é o inferno dos que perderam,
é a dor dos que ficaram para trás,
é o gosto de morte na boca dos que continuam...
Só uma pessoa no mundo deseja sentir saudade:
aquela que nunca amou.
E esse é o maior dos sofrimentos:
não ter por quem sentir saudades,
passar pela vida e não viver.
O maior dos sofrimentos é nunca ter sofrido.

Saudade é não saber. Não saber o que fazer com os dias que ficaram mais compridos, não saber como encontrar tarefas que lhe cessem o pensamento, não saber como frear as lágrimas diante de uma música, não saber como vencer a dor de um silêncio que nada preenche.

Tenho razão de sentir saudade,
tenho razão de te acusar.
Houve um pacto implícito que rompeste
e sem te despedires foste embora.
Detonaste o pacto.
Detonaste a vida geral, a comum aquiescência
de viver e explorar os rumos de obscuridade
sem prazo sem consulta sem provocação
até o limite das folhas caídas na hora de cair.

Antecipaste a hora.
Teu ponteiro enlouqueceu, enlouquecendo nossas horas.
Que poderias ter feito de mais grave
do que o ato sem continuação, o ato em si,
o ato que não ousamos nem sabemos ousar
porque depois dele não há nada?

Tenho razão para sentir saudade de ti,
de nossa convivência em falas camaradas,
simples apertar de mãos, nem isso, voz
modulando sílabas conhecidas e banais
que eram sempre certeza e segurança.

Sim, tenho saudades.
Sim, acuso-te porque fizeste
o não previsto nas leis da amizade e da natureza
nem nos deixaste sequer o direito de indagar
porque o fizeste, porque te foste

quinta-feira, 28 de junho de 2012

A história de Ritinha (por TATI BERNARDES)...

Quando li esse texto de TATI BERNANDES de Novembro de 2010, me identifiquei com muitas coisas, e resolvi compartilhar, afinal tambem sou RITINHA... E a diferença vem, que depois de tudo, a Ritinha dela não encontrou um novo amor... mas esta aqui sim... um amor pra toda vida! (Assim desejo!)

A história completa de Ritinha

Ritinha fingiu a vida inteira mas nunca deixou de procurar a verdade. Sempre uma tosse de angústia na boca do peito. Sempre um motorzinho acelerado enjoado lá pro meio de algo que fica dentro.O olho ardia. A língua travava de vontade de mudar todo o discurso pronto e dizer apenas a verdade. Mas qual era a verdade?
Então seguia fingindo. A vida inteira. Estudou um monte de coisa que se embaralhava na sua frente, mas fingia acreditar que aquilo a levaria para algum lugar. Um lugar com novos amigos e novos amores, talvez. Talvez essa fosse a verdade que purificaria tanta coisa sem sentido. Mas também não era isso porque, com esses amigos e amores, Ritinha seguia fingindo. De fingir estudar passou em tudo que fingiu se importar. De fingir curtir as festas e os amigos e aquilo tudo, Ritinha vivia em álbuns felizes e acabava feliz. De fingir amar, acabou chorando e doendo e escrevendo tantas coisas bonitas. Ritinha seguia fingindo o tempo todo. Às vezes, com medo de morrer soterrada por tanto teatro, Ritinha segurava firme no fundo dos olhos de alguém e dizia: a verdade é que, a verdade é que. E a pessoa, caso fosse assim como Ritinha, uma pessoa especial (porque quem procura essa verdade sempre é) só dizia: eu sei, eu sei. E era isso. Um momento especial, de verdade, sem a bola de pêlo presa na goela. Sem a tosse de angústia, tentando soltar algo pro ar entrar.
Mas que algo? Mas que tosse? Então Ritinha ia ao psiquiatra e dizia não entender todas essas coisas como nuvens e casamentos e rodas fedorentas de caminhões bafando quente e infernal e abajures e cartões fidelidade e apostilas e tudo isso que acaba acontecendo porque acontece com todo mundo. Mas pra quem? Por quê? Qual é a verdade? Todos caminhando, todos com horários, todos de volta, cansados, o cérebro já bem gasto, agora podemos dormir, ufa, podemos dormir, pra quê? Pra amanhã mais e mais. E Ritinha ia. Como na hora do rush do metrô.
Empurrada pela multidão sem verdade pra dentro de algo que leva pra algo. Pra onde? Eles precisam pagar as contas, eles precisam pagar o plano de saúde, diria sua mãe. Tá, e daí? Ter um problema sério nos ocupa de não ter o problema real. O problema real é que não dá pra calar a cabeça procurando a verdade. Que verdade? Quem inventou as nuvens? Porque as rodas de caminhões soltando fumaças quentes lembram tanto o inferno? E quem disse que a roda solta alguma coisa? Onde está a saída daqui? O tempo todo essa pergunta: onde está a saída daqui? Qual o caminho mais rápido para a minha cama, o silêncio, o escuro. Ritinha abraça as pernas, como criança, e se diz baixinho: não dá pra saber a verdade, não dá pra parar a cabeça, nada parece realmente o que é, hoje eu não disse o que realmente queria, aquelas pessoas não sentem aquilo que demonstram, eu pouco me importo com 70% dos preenchimentos do meu dia, mas é preciso chegar até amanhã.
É preciso chegar. Ritinha se formou, trabalhou, namorou, viajou, casou, teve filhos, escolheu vestidos, escolheu pisos, escolheu tacos, escolheu flores, escolheu travesseiros, escolheu máquinas de lavar, escolheu o nome do neto, escolheu fazer a cirurgia, escolheu o sapato baixo, escolheu ver a novela ao invés do filme, escolheu dormir até mais tarde no dia que a empregada chegava mais cedo. Sem saber a verdade, Ritinha escolheu viver. No último segundo, até porque prometi que essa era a história completa de Ritinha, Ritinha descobriu algo que nunca mais poderá contar a ninguém. Só o que sabemos é que, em sua última sugestão do que seria a verdade, ela sorriu como sorrimos para um bebê quando ele se levanta bem compenetrado depois de desabar.

Um novo dia...

Ah! um novo dia, depois de uma noite divertida ao lado do meu amor...
Brincadeiras com minha neta, que com medo de tantos fogos, quis compartilhar nossa cama nova.
E nossa cama nova é maravilhosa, lindona, e um desejo que o Grandão ajudou a realizar.
Como diz minha filha caçula, parece cama de motel... ai..ai..ai... Minha filhotinha cresceu, fala naturalmente de todas as coisas que antes eu julgava impróprio dela dizer.
Mas, como sempre digo, acho que demais até... o tempo passou... está passando depressa demais!
Ontem o Grandão disse que vamos semana que vem passear na Ilha do Cardoso... Acredito que ele falou sério, me olhava feliz enquanto jantava, enquanto falava da imensa alegria de estarmos juntos há tanto tempo e termos essa cumplicidade tão gostosa.
E realmente é muito bom sermos nós mesmos sempre, sem medo de falar, de rir, de se expor. Nosso relacionamento é bom demais, mesmo diante da dura realidade.
As vezes eu não quero ser chata ou inconveniente e acabo deixando o tempo me mostrar as respostas das perguntas que as vezes quero fazer para ele. Tal, como ele se sente as vezes tendo que ir embora quando na verdade a sua vontade era querer ficar. Daí depois de um tempo, ele vem contar dos pensamentos que teve ao retornar para seu canto, pensar em nós, sonhar com a gente.
Adoro quando ele fala da alegria da sua fiel parceira canina quando ele chega ou de quando a filha dele chega. Ele narra o amor que os cães tem pelo dono e principalmente a dele em especial. As vezes caimos na risada dele contando do jeito que ela o olha, de como as vezes dormem juntos, seja no sofá ou na cama da filha. Acho o máximo isso. É um amor verdadeiro mesmo. Muitas vezes o vejo aos finais de semana passeando com ela pelo bairro e ela o obedece carinhosamente.
Por isso eu digo, nada como um dia após o outro, um respeitando o outro, sabendo que cada um tem uma história para terminar, outras para começar, outras para refazer.
Em minhas orações diárias, peço a Deus discernimento sempre, mesmo diante daquilo que sei ser errado, mas que me faz acreditar que vai valer a pena.
Bom, vamos aguardar um novo dia... quem sabe não vai ser bem melhor que ontem...

quarta-feira, 27 de junho de 2012

Tempo

TEMPO

Vou falar do “tempo”...
Tempo amigo, inimigo, aliado...
Houve uma época em que eu imaginava o presente, almejando e futuro e hoje, percebo que já é um passado distante.
Houve uma época em que eu sonhava estar formada, trabalhando, tendo minha casa, minha família...
E no tempo... conquistei quase tudo...
Me formei, consegui bons empregos, comprei minha casa e uma família construí...
Casei, tive filhas, cachorros, plantei árvores, escrevi um livro, fiz um jardim...
Me separei...
Fiquei um bom tempo pensando... “onde errei?”
Mas, não errei sozinha...
E o tempo passou...
Num acaso do destino, esbarrei em alguém...
Olhares...
Um encontro...
Outros encontros...
E o amor surgiu...
E o tempo novamente passou...
Nele estou escrevendo sobre meu amor... que hoje me faz feliz.
Por quanto tempo?
Tal como a música: "Que seja eterno enquanto dure, que dure para sempre!"

Loucuras na madrugada...

Sei que ela vai me "odiar" pela foto, mas foi um momento único, inesquecivel e eu não poderia deixar de citar uma pessoa que curto muito, "Ju", uma filha que o tempo me deu de presente num passado em que pude contratá-la para trabalhar comigo. Caramba! Faz muito tempo!
Foi a descoberta de uma pessoa especial, cheia de encantos, sofrimentos, luta pela vida, pela sobrevivência, pela história, enfim, por tantas coisas boas e ruins que vou apenas enfatizar o que sinto.
Nessa noite, nós duas estávamos em casa, a piscina das crianças no quintal... bebemos e caimos de roupa e tudo na água. Rimos MUITO!!!!
Ela, sempre do meu lado nas decisões de encarar de frente o amor pelo Grandão...
No início foi barra, pois os medos, as incertezas, a culpa, a ironia do tempo, enfim... Mesmo sabendo ser tudo errado, ela esteve do meu lado, ora está, pois a vida e a minha história com o meu amor não está nem na metade.
Gosto demais dessa menina, que como poucas pessoas que conheço com a idade dela, luta pelo seu lugar ao sol, pelo amor, pelos estudos, pelas conquistas que almeja, pelos sonhos que tem, e sei, um dia quero vê-la no topo. No topo de seus sonhos realizados.
Não é fácil ser alguém com um passado incógnito. Saber que veio ao mundo, mas não saber por quem.
Não é fácil sobreviver nesta sociedade louca em que vivemos, ter que lutar com garra e determinação para ter onde morar.
Não é fácil ter que conviver com pessoas que diariamente querem te derrubar...
E esta muitas vezes foi e é a vida cotidiana dessa menina.
Mas, eu acredito que um dia tudo isso vai mudar. Para melhor!

Ele cozinhou pra mim...

Uma comidinha deliciosa, feita pelo Grandão... sei que não dá para identificar, mas são legumes, peixe, temperos, amor... inesquecível esse dia, onde ele dominou minha cozinha.
Ah! foi tudo uma delícia sem igual.
Ele me disse que quando morarmos juntos, ele sempre me fará surpresas, já que na maioria das vezes sou eu quem cozinha... Hum! sentirei esse privilégio maravilhoso.

terça-feira, 26 de junho de 2012

Esperar.... por enquanto é a melhor saida...

Olhando o relógio do tempo, acreditando nas deliciosas promessas de amor do Grandão, estou sempre a esperar. Digo mais, espero o tempo que for possível para viver intensamente nosso amor. Um amor que nasceu num acaso e que hoje quero deixar marcado tudo o que vivemos juntos.

Relembrar nosso primeiro Honey Moon em Boiçucanga...

Onde por dias andando pelas praias, comendo peixes, conversando sobre nossas vidas... conhecendo um pouco de nós num dormir e acordar juntos..

Nossa primeira diferença, resolvida tão rápido como começou e estabelecemos uma regra, sermos francos um com o outro e jamais levar para nossa cama o que aconteceu fora dela...


Relembrar nosso passeio em Barra Bonita

Aqui tivemos dias de harmonia, namoro, sintonia... Sentados nesse banco, tivemos a visita ilustre de um tatu... Fomos recebidos por corujas, lagartos, tivemos uma lua cheia maravilhosa na beira da piscina... Indescritível os deliciosos momentos juntos...

Somente estando ao lado dele, posso dizer o quanto descobri dias intensos, de um amor que eu jamais ousei saber existir...


Relembrar nossa estadia em Pedras de São Domingos, há mais de 2000 metros de altitude


Primeiro a mostrar as estradinhas pelas quais andamos por quilometros, eu perdida no meio do mato, em estradinhas tão estreitas, olhando para o celular e nenhum sinal de nada... o Grandão super calmo e eu querendo começar a rezar... ele ria do meu medo, me acalmava dizendo que daria tudo certo...


Mas, compensava sempre as belas paisagens pelas quais pudemos ver, campos imensos, plantações gigantescas de morangos... algo bonito de se ver...

Ate chegarmos bem no alto... e subirmos uma escadaria imensa até chegar no topo...

Do lato uma visão deslumbrande de Minas Gerais.. pelo menos parte da cidade... incrível de como o lugar é alto e de como é frio...

Um lugar que pretendo voltar um dia...

Mas, como agora é apenas parte das recordações, enfatizo que preciso esperar, pois valeu a pena até agora, eu sei que irá valer muito mais. Sonho no dia em que nossas filhas possam ter a chance de compartilhar momentos juntos. Momentos de intensa alegria. Dificil quando a gente não sabe o que nos reserva... Dificil quando amamos intensamente e não sabemos o que está reservado. Mas, como tudo sempre está nas mãos de Deus... esperar por enquanto é a melhor saída...

segunda-feira, 25 de junho de 2012

Agora é tempo...




Agora é tempo
Agora é tempo de perdoar,
e perdoar significa limpar-se de toda e qualquer mágoa,
significa ficar livre de amarras e pesos desnecessários,
porque é tempo de seguir viagem, é tempo de buscar-se.
Nada é mais importante que um encontro com você mesmo,
saber onde você quer chegar e como alcançar tal lugar.


Agora é tempo de amar sem barreiras.
e amar sem barreiras significa esquecer ofensas,
deixar de lado velhos conceitos, preconceitos,
esquecer o que passou, e até pessoas que te marcaram,
pessoas que foram e carregaram pedaços de você,
parece que mesmo longe continuam dentro de você.
São fantasmas vivos no armário do seu coração.


Agora é tempo de renovar-se,
e renovar significa trocar o velho pelo novo,
e tudo começa com a sua disposição, com o seu querer,
se você realmente desejar uma coisa, e lutar por ela,
se não for fruto apenas da sua obstinação,
ela pode acontecer antes do final deste dia,
e isso é mais do que acreditar, é viver pela fé,
é ter a certeza de que você é novo a cada instante,
e merece ser feliz.

Agora é tempo de valorizar,
e a valorização é o crédito que damos para alguém,
para alguma situação, e nesse momento,
nada tem mais valor que a sua vida,
valorize-se, dê mais crédito para suas capacidades,
diga bem alto: eu mereço coisa melhor!
e assim, começando essa revolução de dentro pra fora,
as pessoas vão reconhecer o seu devido valor,
mesmo no silêncio profundo dos teus olhos,
porque eles dizem tudo de você...

Paulo Roberto Gaefke


E foi o que disse ontem ao meu Grandão... estamos no tempo para nos amarmos muito, buscarmos um ao outro da melhor maneira, sem que o tempo seja nosso inimigo e sim um grande amigo a nos levar a realização de nossos sonhos. Sonhos esses que teimam em existir. O mais legal no nosso relacionamento é a amizade que temos um pelo outro, o carinho, o respeito as idéias, a vida, ao espaço que conquistamos.
As vezes acredito que agora foi a hora certa para nós dois.

sexta-feira, 22 de junho de 2012

Apenas um sonho...

Quando sonho com o Grandão e ao acordar, olhar para o lado, ver o lado da cama vazio, significa que ele não dormiu comigo, que deve ter dormido no sofá... ou qualquer outro lugar na casa dele e não no quentinho de nossos edredons...
Daí, vejo que ele me fez falta, muita falta e que meu sonho me trouxe um pouco dele na mente...
Quando sonho com o Grandão, sinto que o amo a cada novo dia, onde sinto sua falta, falta de seus beijos, de seu calor, do carinho gostoso, do jeito encantador dele contar como foi o dia no trabalho, do trem e metro lotado, das dificuldades que ele enfrenta...
E o sonho me trouxe mais um pouco dele na mente...
Quando sonho com o Grandão, percebo que tudo o que vivemos valeu a pena, que vale a pena os poucos momentos juntos, os momentos que somos mais que amigos, confidentes, cumplices e amantes...
Quando sonho com o Grandão vejo que ele está na minha vida, em minha mente nas 24 horas de meu dia, até meu subconsciente quer estar ao seu lado...
Não queria sonhar tanto assim...
Quero acordar e ve-lo ao meu lado, quero mimá-lo, fazer seu cafe da manhã, deixá-lo sair de casa lindo. Cuidar de suas roupas, das coisas que ele gosta. Respeitá-lo, assim como ele me respeita e sabe que tenho meu jeito doidinho de ser, divertido, intenso.
Acho que por eu ser assim, alegrá-lo sempre que posso, faze-lo rir, cozinhar as coisas que ele gosta, faz com que nossos sentimentos aumentem sempre mais...
Ah! e ve-lo cozinhar... Ele tem um jeito todo seu de inovar na cozinha...
Um dia ele fez um almoço para nós, ma-ra-vi-lho-so....
E por assim dizer... não quero sonhar, quero viver com ele.
Sei que outras vidas dependem dessa decisão, mas ele sabe que poderá contar comigo sempre.
Nas nossas conversas sobre nossas vidas, sempre deixei bem claro que ele tem as prioridades e que nosso amor tem o devido valor e que se soubermos manter acesa essa chama... é um amor pra vida inteira... Um amor pra toda vida...
Mas, enquanto esse dia não chega, só me resta sonhar...

Mas, que mais dia menos dia estaremos juntos, vamos sonhar juntos! Por toda nossas vidas!

quinta-feira, 21 de junho de 2012

Ilha do Cardoso...

Ilha do Cardoso - Honey Moon maravilhoso

Essa viagem foi uma das mais gostosas, passamos dias na Ilha do Cardoso, andamos de barco numa chuva intensa, uns 40 minutos delirantes, percorremos essa trilha até a praia, uma praia linda, total deserta. Algo inesquecivel pelo lugar, pelas paisagens, pelo amor e carinho que o Grandão me propôs.
Só quem convive com a gente teve o prazer de ver as mais de 600 fotos que tiramos, as 100 que revelamos e que estão compondo o album de nosso amor, um romance digno de uma linda história.


Esse lugar não tem energia elétrica, a que tem é por gerador até as 20h00 e depois o uso das lanternas que levamos, pois a escuridão é intensa e nos dois primeiros dias choveu muito, mas isso não nos impediu de passearmos pela Ilha, o calor era gostoso e a chuva caia bem.
O interessante era o rio que beirava a pousada, ora ele ia para um lado e depois de um tempo mudava o curso e ia para outro, um vai e vem interessante.



Um dos passeios na Ilha foi chegar até essa cachoreira, numa mata densa, as folhas na trilha me fizeram levar um escorregão imenso, rimos muito, pois eu falava para o nosso guia que eu ia cair, e não é que cai mesmo?
Antei num mangue, atolada de lama até as coxas... lama negra e grudenta. O Grandão riu da minha cara pois eu afundei de um jeito engraçado.
Vimos a maré subir e descer, antes víamos as raizes das arvores e de repente sumia.
Fomos pescar, pescamos dois peixes grandes que comemos no almoço. Eu pesquei uns dois ou três "gordinhos", os tais baiacus... muito fofinhos, quando a gente coça a barriguinha deles, eles estufam..

Pescamos Pescada amarela, e o Grandão teve a sorte de ver um Boto, eu não! Mas foi muito bom, a natureza como testemunha de nosso amor, um dos Honey Moons que eu adorei, pelo lugar, pelos passeios, pela aventura, pela alegria que estava em constante conosco.


E um dos cartões postais da Ilha é o pier da chegada dos barcos, dos barcos escolares que levam as crianças nas escolas. Da janela de nosso quarto era essa a visão que tínhamos e esse rio lindo a nos contemplar


E muito bem recebidos pelo pessoal da Pousada... que nos dias em que fomos, só tinha nós dois, além disso tivemos um atendimento delicioso do restaurante tipico da região ao lado.


Pena que tudo o que é bom dura pouco, mas nos deixou uma excelente recordação, como se nos convidando para voltar, e nossa intenção se conseguirmos é a de levarmos nossas filhas um final de semana, para elas poderem desfrutar dessa maravilha que é a Ilha do Cardoso, mais precisamente, praia de Marujá.



quarta-feira, 20 de junho de 2012

Coragem...

Ontem conversando com o Grandão em nossa cama, falamos de termos "Coragem" para mudar o rumo de nossas vidas e fazer uma nova história, daí, hoje, encontrei algo sobre exatamente isso. Achei interessante e vou deixar marcado nos meus relatos de minha vida ao lado do meu amor.

Coragem...

Segundo a Wikipédia:
Coragem (do latim coraticum) é a habilidade de confrontar o medo, a dor, o perigo, a incerteza ou a intimidação.
Uma pessoa corajosa é uma pessoa que, mesmo com medo, faz o que tem a fazer.
Pode ser dividida em física e moral.
O homem sem temeridade motiva-se a ir mais além.
Enfrenta os desafios com confiança e não se preocupa com o pior.
O medo pode ser constante, mas o impulso o leva adiante.
Coragem é a confiança que o homem tem em momentos de temor ou situações difíceis, é o que o faz viver lutando e enfrentando os problemas e as barreiras que colocam medo, é a força positiva para combater momentos tenebrosos da vida.
Então eu volto a dizer:
CORAGEM!
Sim, é isso que nós precisamos para seguir e por em prática o que afirmou Alexandre Herculano no pensamento que trouxe hoje para refletir.
Mudar de opinião, admitir erros, aceitar que não somos donos da verdade.
Aprender com quem teoricamente, saberia menos que nós.
Por isso a provocação de hoje!
Sobre abandonar velhos paradigmas.
Sobre questionar o que nos é mostrado como verdade absoluta!
Acredite, este é meu desafio aos alunos no primeiro dia de aula!
Desafio eles a duvidarem das verdades que apresento para eles, com a condição de trazerem uma verdade.
Isso faz com que parem para pensar. Refletir.
Consequentemente, quando fazem isso, estão dispostos a aprender.
Justamente por isso que volto a você, com o pensamento de Herculano!
Não sinta medo, nem vergonha de admitir, quando for necessário, que se enganou.
Não deixe que sua preocupação sobre o que os outros vão dizer ou pensar, quando se deparar com uma situação assim.
Coragem!
Quando você fizer isso, superar esse tipo de obstáculo.
Mudanças surpreendentes irão acontecer em sua vida e no mundo ao seu redor.
Não sinta vergonha de aprender algo novo!

Sigmar Sabin
Professor e Aprendiz da vida

terça-feira, 19 de junho de 2012

Digo que amo todos os dias...

Quando vejo esse desenho, me vem na mente o jeitinho delicioso do meu amor, meu querido Grandão.
As vezes quando olho em seus olhos e me vejo lá dentro, me dá uma sensação tão boa, algo tão gostoso de se sentir. Ou simplesmente quando olho para ele e ele me manda um beijo. Tento como posso, dizer que o amo todos os dias, seja por um e-mail, por uma mensagem de SMS, seja numa ligação e deliro quando consigo fazer isso pessoalmente.
Sensação única de apaixonada por ele, pela vida e pela familia que eu construí. Digo isso pois tenho filhas e netas e a minha neta mais nova sempre que posso pergunto: "Quem é meu amor", e ela responde "Eu!"... Amores intensos, maneiras diferentes de amar, sentir, entender, decifrar... Curtir!

segunda-feira, 18 de junho de 2012

Eu mudei...


Quando vejo que o tempo passou e nesse mesmo tempo como eu era e como sou hoje. Mudei!
Mas, mudei muito, seja no aspecto físico, seja no intelecto, seja no coração. Os últimos anos tem sido diferente, mais carregados de emoções, mais intensos e o que as vezes me deixa triste, é que estou beirando os 50 anos, já não tenho a mesma juventude, a mesma vitalidade, a mesma energia.
Sempre penso que adoraria ter a intensidade do amor que tenho pelo Grandão há 20 anos atrás. Acredito que seria muito maluco, mas de repente não tenha a maturidade, a reciprocidade que temos hoje. Penso que foram precisos esses anos de distancia para que pudessemos dar valor ao que sentimos hoje.
Vejo que ainda temos muito o que viver, mas que nem sempre podemos.
Vejo que tanto eu como ele hoje temos a certeza de uma amor intenso, cheio de conversas, muita alegria, muita descontração, muita cumplicidade. Somos sim cumplices de nossas vontades. Dividimos as nossas vontades de maneira clara. Ele sempre diz o que quer, como quer, do jeito que quer e eu, nossa! Eu posso ser eu mesma, cheia de doideras minhas, coisas que ele vibra, que sinto que ele gosta.
Tudo muito gostoso, muito intenso. Só nosso!
No entanto, nem tudo são flores, nem sempre podemos estar juntos, nem sempre a realidade é boazinha com a gente.
Quando nos vimos ontem, ele contou algumas frustrações que teve, das palavras da filha, das decisões que cada um precisam dar. Dificil pra mim, pois não posso opinar, pois gosto demais do Grandão e tenho um carinho imenso pela filha dele. Infelizmente nosso último papo não fui muito feliz, ela não havia entendido algo que eu tinha dito sobre um relato que fiz dela e ela achou que eu havia invadido a sua privacidade e no entanto, apenas citei a pessoa maravilhosa que ela é, mesmo diante dos problemas que sei que enfrenta com a mãe, palavras que estão no livro "Falando de Amor" - da Editora Casa do Novo Autor, onde num mesmo livro em forma de Antologias muitos autores falam do amor.
Mas, como sempre digo, nada como o tempo.
Um dia ela saberá que quero cuidar do pai dela, mimar, dar amor, carinho, cuidar dele em todos os sentidos, faze-lo sentir alegria sempre. Mas, não posso mudar nada só tempo irá mostrar isso a ela, as coisas precisam seguir um caminho e nem sempre são como gostaríamos. Nem sempre podemos agradar a todos.
E sempre digo: "Jamais contruirei a minha felicidade na infelicidade de alguem". Mas quando "eu" for o motivo, mas existem pessoas que conseguem sozinhas se auto-destuir e querem levar juntos as pessoas ao seu redor.
Vou seguir em frente, e enquanto puder, ser a melhor amiga, a melhor parceira, a melhor companheira, a melhor amante, a confidente e assim termos bons motivos para meu Grandão continuar me querendo, me desejando como acontece hoje.
Quero um dia ver a felicidade do Grandão estampada nitidamente em seu rosto. Se assim Deus permitir!

sexta-feira, 15 de junho de 2012

4 gerações

Não poderia deixar de citar minha mãe, uma mulher que na sequencia da vida é uma fortaleza. Quando me deparo com essa foto, do nascimento da Mari, a alegria de ser "bisavó", quando na verdade ela tem é jeitinho de vó, vejo o quanto somos parecidas.
Hoje em dia, quando pode, mima ao extremo minhas netas quando elas vão em sua casa.
É um xodó sem tamanho, e lá, "tudo é permitido", e as meninas não são nada bobas. Amam a "Bisa".
Adoram ir na casa da vó Bisa.
Mas, é que por lá tem meu irmão, padrinho da Mari, minhas irmãs Mara e Monica que são as que entopem elas de coisas que toda criança adora.
Sem contar que lá elas se sentem paparicadas ao extremo e isso é por demais delicioso.
Minha mãe como toda mãe, tem seu jeito maternal de ver as coisas, encarar a vida de frente.
Enfrentou grandes perdas, mas fez dessas perdas o início de tudo.
Foi na costura que formou os filhos que ficaram ao seu lado. Na costura manteve e ora mantem a casa. Nessa mesma costura se dedicou a medicina do filho, que hoje um grande médico é seu grande orgulho.
Nessa mesma costura viu os filhos casarem, terem filhos. E como as dificuldades tambem surgem sem que tenhamos vontade, ela viu a separação, casamentos desfeitos e se manteve firme e forte, na postura grandiosa que a vida lhe mostrou. A admiro, apesar de pouco ve-la.
Em toda minha existencia minha mãe foi sempre uma incógnita, mas que ao longo do tempo me fez admira-la muito.
Já passou por uma grande cirurgia do coração, já enfrentou a dor da perda do grande companheiro, já passou aflições diante de muitas injustiças e do pouco que vi, NUNCA a vi chorar.
Quando contei a ela sobre o Grandão, ela apenas me disse: "Você sabe o que faz da vida"! E acho um barato quando ela nos vê juntos, ela o trata com um carinho sem igual.
Houve um final de semana há quase dois anos atrás que fomos para perto de Mogi das Cruzes num pesqueiro que uma tia nossa tinha, e passamos um dia delicioso juntos, eu, ela, a Isa e o Grandão. Muito legal!
Acho que estou devendo mais momentos assim com ela! Mas, isso é uma questão do tempo. Ah! o tempo!

quinta-feira, 14 de junho de 2012

A emoção do meu amor...


Ontem, dia de Santo Antonio, depois da festinha, eu e o Grandão ficamos conversando sobre o quanto é gostoso ficarmos juntos.
Ontem eu vi quando ele emocionado chorou ouvindo a linda história de vida de Dona Antonieta, que com seus 95 anos de vida, na lucidez, na fé, no amor a tudo o que conquistou na vida nos contou. As lágrimas dele me mostrou o quanto ele é sensivel e meu grande amor.
Ela narrou a conquista da casa, as dificuldades do passado, do milagre que conseguiu com o santo, da fé, do amor a vida, aos filhos, netos, bisnetos, tataranetos.
Daí, em nosso papo gostoso de ontem, ele me disse o quanto me ama. Ah! como é gostoso ouvir isso de um homem maduro, atolado de preocupações, sejam de trabalho, de familia e até de seu animal de estimação.



Dona Antonieta e minhas netas e meu neto postiço Erick

Imaginar uma pessoa como Dona Antonieta, que com seus 95 anos de vida, tem uma alegria contagiante, venceu um câncer de pele que lhe mutilou parte do nariz, que lhe deixou marcas, mas que pouco importa, está viva, lúcida e tem tanta experiência de vida para nos contar.
Uma mulher que me disse que a maior dor de uma mãe é enterrar um filho, o marido e ter forças para seguir em frente sem nunca desistir de lutar.
Uma mulher que viu os filhos se tornarem pais, avós e ela já é tataravó.
Uma pessoa sempre pronta a ajudar. Uma amiga pra toda vida.
Ontem ela disse pra mim que é para eu cuidar muito bem do Grandão, pois ela leu nos olhos dele o carinho e o amor que ele sente por mim.
Ele emocionado a abraçou tanto, foi uma imagem tão gostosa de se ver, de se sentir.

São por momentos assim e pelas palavras da Samanta, que sigo em frente, pois ela sempre me diz... "Mãe, o Grandão te olha de um jeito tão diferente, é amor!"

Meu amor!
Meu delicioso Grandão!


quarta-feira, 13 de junho de 2012

Um dia após o outro...


Ah! hoje o dia surgiu com ares de alegria... uma noite deliciosa ao lado do meu Grandão... a surpresa do presente inesperado, o calor do abraço, do carinho, das risadas gostosas que damos juntos...
Vimos alguns videos, rimos, nos emocionamos... Horas que voaram... Mas, que como sempre reforçaram nossos mais intensos sentimentos. Um amor tão bom!

Nada como acreditar que o amanhã será bem melhor, mais cheio de emoções. A cada novo amanhecer a expectativa do próximo encontro, dos milhares de beijos que daremos, das muitas alegrias que iremos dividir juntos. Sabemos de toda parte ruim, mas torcemos que a parte boa supere toda e qualquer diferença.



terça-feira, 12 de junho de 2012

Amigas... cúmplices de meu amor

Amigas

Quando narro minha trajetória com o Grandão, não posso deixar de citar essas 3 deliciosas companheiras de ombro, sempre me dando forças, participando de minhas alegrias e tristezas que cercam a minha história de amor.
As chamo de filhotinhas queridas, pois cada uma tem seu jeito de me apoiar, cada uma tem de mim um amor prá lá de especial.
A loirinha, porém agora está morena, Elaine, onde nas viagens de trem, nos almoços em casa, nos aniversários que dividimos, nas alegrias, sempre presente, as vezes um e-mail já basta, um SMS com mensagens de apoio, de incentivo e de ânimo, para jamais desistir, já que o amor é reciproco e gostoso.
A de cabelos longos escuros e encaracolados, Daiane, que gosto de chamar apenas de "Dai", que com seu jeito crítico e franco, às vezes nos dá um tranco com os medos que assolam nossa caminhada, e ela não mede palavras, diz o que sente e pronto!
A que está do meu lado, parceira, amiga, confidente, de sorriso franco e sincero, minha filha caçula, que por muitos anos foi minha deliciosa "Batatinha", apelido ganhado em tempos de criança, por adorar comer as batatinhas fritas do Mc'Donalds... uma figura que está comigo no dia-a-dia, dando forças para eu seguir em frente e acreditar que o meu amor é maravilhoso e que se ele existe é pq Deus permitiu.
Óbvio que tenho grandes amigas, que me apoiam, sabem de minha vida ao lado dele, porem, essas são as que convivem no dia-a-dia. Não há uma semana que fiquemos sem um contato, seja um recado, uma mensagem, um telefonema, ou mesmo nas loucas aventuras nos transportes que usamos. Rimos muito sempre, compartilhamos vidas, compartilhamos desafios, afinal, todas nós temos essa vida e a obrigação de vivê-la.

Dia dos Namorados...


Hoje, um dia comum, mas que de uma certa forma a mídia o torna especial...
Dia dos Namorados...

Mas, prefiro acreditar que seja apenas mais um dia curtindo o meu amor pelo Grandão.
Relembrando nossa última noite juntos, a noite inteira no calor de nós dois, o amanhecer, o primeiro beijo do dia, o carinho, o abraço apertado, e aquele "amo você" mais gostoso... cheio de dengos e afagos.
Horas conversando sobre o que marcou a vida de cada um nesses anos todos juntos... Descobri que temos momentos em comum de lembranças, de saudades do que vivenciamos. Ele lembrou de cada uma de nossas "luas-de-mel"... cada um de nossos passeios... Caramba! ele lembra de cada detalhe...
- Das praias de Boiçucanga, do passeio de barco pelas Ilhas
- De Barra Bonita, a paisagem maravilhosa do Rio Tietê nas suas águas limpas
- Da Ilha do Cardoso, mais precisamente na praia de Marujá, nossa pescaria, meu atolamento na lama, meu tombo na volta da cachoeira da ilha.
- De Pedras de São Domingo em Gonçalves - MG, do cobertor de pele de ovelha, lareira, vinho e uma amor gostoso há 2000mts de altitude, um vento intenso.
- Do Hotel Fazenda em Guararema, num final de semana de verão delicioso...
- De Cambui, pescando trutas
- De Ilhabela, percorrendo todas as praias, sendo picados intensamente... como o repelente é importante...
- Do pesqueiro Pantanosso... quando eu pesquei um peixão...
- Das nossas aventuras na Bat Caverna... inesquecíveis risadas num ôfuro que quase me afoguei...
- Das nossas aventuras em colher romãs com vara de pescar...

Ah! um dia irei descrever cada um desses passeios, das risadas que compartilhamos, das pessoas que conhecemos, do que vivenciamos e medos pelas quais eu passei e que senti que poderia confiar, ele estava ali para me proteger...
Sinto que apesar de toda dificuldade que passamos para estarmos juntos, isso fortalece nosso amor a cada novo dia.

segunda-feira, 11 de junho de 2012

Momentos...

Um momento... onde eu sei que a alegria estava presente!

Medo de um amor incerto...

Se existe verdades absolutas neste mundo, uma delas é que todos nós temos medo de sofrer.
Assim, ingenuamente tentamos controlar as situações ao nosso redor, como se isso fosse possível.
Obcecados por esse desejo de nos proteger, gastamos nossa energia e nosso tempo tentando controlar os pensamentos, as atitudes e até os sentimentos das pessoas que amamos e que, sobretudo, desejamos que nos amassem.
No entanto, não nos damos conta de que a vida se baseia no imprevisível, no incontrolável, no surpreendente!
Nenhum sofrimento é garantido, nenhuma consequencia é revelada antecipadamente.
O futuro é totalmente incerto.
E apesar de tamanha imprevisibilidade, temos em nosso coração toda a possibilidade de conquistarmos o que e quem amamos, o que é muito diferente de controlar, prever ou obter garantias!
Muitas pessoas não conseguem encontrar um amor, não se entregam a uma relação profunda e verdadeira simplesmente porque estão, todo tempo, tentando obter certezas. As perguntas não param de gritar.
As dúvidas não tem fim e o medo de se deparar com a dor parece assombrar milhares de corações, impedindo-os de enxergar outra possibilidade, tão plausível quanto a de sofrer.
Será que ele me ama?
Será que vale a pena perdoar sempre?
Será que ele não vai me trair?
Será que estou sendo idiota?
Será que não vou sofrer mais do que se ficar sozinha?
Será?
Será?
O que será...
Eu responderia com muita tranquilidade, não importa agora!
Na verdade, nunca importará!
A pergunta correta é: "Eu quero?"
Quando aprendermos a responder, com respeito e responsabilidade a essa simples perguntinha, teremos previsto qualquer possibilidade.
Sim, porque amor é uma chance, uma oportunidade; não uma garantia; nunca uma certeza!
Podemos vivê-lo conforme nossa vontade, de acordo com nosso coração ou passaremos a vida inteira tentando controlar o incontrolável, garantir o incerto!
Jamais teremos como saber se o outro está sendo fiel, se o amor que sentimos é correspondido na mesma medida, se vai sofrer ou seremos felizes.
Jamais saberemos do amanhã ou do outro.
Então, que usemos nossa inteligencia, a despeito de todo medo que isso possa nos fazer sentir.
Ou seja, que possamos, de uma vez por todas, abrir mão dessa tentativa inútil de controlar o amor, a vida e o outro e nos concentremos em nós, em nosso coração e em nosso reais objetivos!
Descobriremos que nos ocupar com nossos próprios sentimentos já é trabalho para a vida inteira.
Descobriremos que agir conforme nossa vontade é o bastante para que nos sintamos preenchidos, embora possamos mesmo vir a sofrer.
Simplesmente porque o sofrimento é uma possibilidade tão possível quanto a felicidade!
E digo mais: só conseguiremos entrar de fato no coração de alguém, mesmo sem termos certeza disso, quando tivermos a audácia e a coragem de nos entregar ao imprevisível; quando conseguirmos compreender que a segurança é mérito pessoal, interno, sentimento que não se pode ter em relação a ninguém, além de nós mesmos.
Portanto, para todas as pessoas que tem me perguntado sobre qual é o "segredo" para viver o amor sem sentir tanta insegurança, tanto ciúme e tanto medo de sofrer, aproveito este momento para responde: o segredo está em saber se voce quer, se realmente quer!
Porque se você quiser e fizer por merecer, agindo com sinceridade, qualquer possibilidade de dor e sofrimento valerá a pena.
Porque quando a gente quer de verdade, com o coração, a magia do amor nos faz entender que sofrer faz parte do caminho e, no final das contas, é tudo crescimento, aprendizagem, evolução e, por fim, a tão desejada felicidade.
E não que ela esteja no final do caminho ou no final da vida, simplesmente porque ser feliz é isso: "Entrega-se ao imprevisível e aceitar a dor e a alegria como partes do amor!
E quando penso que essa entrega é realmente difícil, me lembro de uma frase que gosto muito:
"Se o seu problema não tem solução, relaxe... ele tem solução. E se o seu problema não tem solução, relaxe.. ele não tem solução!"
É engraçado, mas muitísssimo sábia.
Portanto, quando estiver doendo muito, não resista!
Simplesmente relaxe, aceite, pois a resposta virá!

quinta-feira, 7 de junho de 2012

Presente, passado e futuro...

Um dos lugares em que estive com o Grandão.. meu amor....
Ontem a noite falamos disso, de presente, de passado e de futuro....
Um presente tão incerto, um passado tão gostoso e um futuro tão incerto...
Nas recordações de nós dois...
Lugares que passamos juntos...
Sonhos que fizemos juntos...
Planos...
Projetos únicos, incertos, malucos, nossos..
Ah!... tão bom de viver...



Hoje sei que aos poucos posso dividir, compartilhar o que meus olhos e os do Grandão viram... acho o máximo isso!!!

O nosso amor visto nos olhares que não os nossos...
Tanto eu como ele adorariamos dividir isso com nossas filhas... Filhas que amamos... Incondicionalmente...


Eu amaria ver nossas filhas.. eu com minhas e  ele com a sua...amores compartilhados... minhas netas...
Um sonho tão gostoso..
E o melhor...hoje nossas filhas não estão mais sozinhas... hoje amam...
Poxa! como é bom divagar...


quarta-feira, 6 de junho de 2012

As flores no meio do caminho...


Hoje acordei bem, com uma sensação gostosa dentro do peito, uma sensação de paz. E nada melhor do que estar em paz consigo mesma.
É confortante saber que a vida segue em frente, no ritmo do tempo, esse mesmo que chamo de amigo e um voraz inimigo. Que me faz envelhecer, mesmo na imensa juventude que há dentro de mim.
Olho lá fora, a chuva que cai sem parar, um dia cinza, mas dentro de mim há um arco-iris gigante, completo! E sei que boa parte disso existe por causa do meu delicioso combustível chamado "Grandão"... que sei que é um amor por toda vida...

Quando cito, "as flores do meio do caminho"... fico relembrando das viagens que eu e o Grandão já fizemos juntos e nas estradas fomos comtemplados muitas vezes por belas arvores floridas, arbustos, trepadeiras numa mistura de cores tão intensas,. tão bonitos de se ver.
Muitas fotos foram tiradas, muitas mesmo.
Aliás, fotos nossas já passam de mil, aliás muito mais de mil.
Adoro revelar, admirar nossos olhares, os abraços, os rostos colados, as alegrias que as fotos traduzem. Traduzem nosso amor, que na medido do tempo irei compartilhar, mas tudo tem a hora e a medida certa, para que a revelação seja muito bem dividida entre os que realmente me conhecem e sabem o quanto me preocupo com o bem estar das pessoas que amo.

E na verdade, são muito mais que flores no meio do caminho.
Nosso caminho... que estamos trilhando juntos, no amor louco de nós dois!

terça-feira, 5 de junho de 2012

Meu amor é você!




MEU AMOR É VOCÊ!

Um amor meu e teu,  que classifico como “Grandão”, que mexe com toda a estrutura do meu ser, que faz com que minha respiração mude na saudade que sinto, na saudade que existe intensamente e as vezes acaba fazendo com que o tempo demore a passar.
Esse amor que me dá a sensação de perda, mesmo não tendo sido perdido nada. Esse amor que dá a sensação de ter ganho pouco, mas ganhamos muito. Pois antes estávamos distantes um do outro, hoje somos dois num amor todo nosso, todo especial.
As vezes sinto por ser um amor proibido, roubado sem querer de outra pessoa, que não soube descobrir a sua essência, mas esse roubo não é total, só em dias em que o coração pede, o corpo implora, a pele incendeia, fazendo os nossos desejos aflorarem e sabemos que não podemos ficar sem nos tocarmos. Temos consciência de que jamais construiremos nossa felicidade na infelicidade de alguém.
Há então entre nós um amor gostoso, que invade, promete, não cumpre, cumpre, é real, irreal, imoral, insano, profano, sincero, místico, sadio, imperfeito, perfeito e as vezes tão intenso que nos leva a lugares nunca antes visto, sentido ou estado.
Ah! Esse amor delicioso, que nos faz levitar num orgasmo de paixão... Que nos faz únicos, recíprocos na busca e na cumplicidade de nós dois.
Quando estou com você, nada importa.
Ao seu lado dá vontade de segurar o tempo, morrer nos seus braços, no seu abraço, no sentir do seu cheiro, no suor, no sorriso, nas brincadeiras constantes, no olhar maroto de algo que só nós sabemos o sabor que tem.
Ah! Esse amor próximo, porém distante, que sempre que possível nos coloca em situações complicadas, mas onde sempre conseguimos encontrar uma saída.
E por assim ele ser, gosto de imaginar que você existe, que faz parte do meu mundo, da minha vida, da minha história. Gosto de acreditar que mesmo que não fiquemos juntos no amanhã, poderei gritar ao mundo o quanto me fez feliz, o quanto eu descobri o sabor da felicidade, o quanto soube aproveitar cada segundo juntos.
E digo mais, um amor assim é importante, pois não há cobranças, tudo vem naturalmente. Não há promessas, não há perguntas sem respostas.
Esse amor traduzido é você! Você que invadiu minha vida, minha mente e sem pedir licença se instalou em meu coração. Aos poucos montou uma cabana lá dentro, armou a rede e no balançar da brisa de nossos momentos  me fez sentir o sabor da alegria, da existência de sentimentos verdadeiros e não me faz esquecer um só segundo o tudo que já passamos.
Entre nós há paz, há diversão, há afeto, há harmonia, há buscas, há certezas e incertezas de  novos dias juntos, há respeito, horas de conversa saudável onde falamos de nossas vidas, nossos filhos, nossas dificuldades, nossa liberdade.
Sinto apenas não poder estar mais tempo com você, mas a espera é nossa. Tal como a frase que lemos juntos um dia: “Saudade não significa que estamos separados, mas que um dia estivemos juntos”, e que se tornou “nossa”.
Meu amor é você!  Hoje só você, pois me ensinou a te esperar, me ensinou que mesmo diante das dificuldades,  há um lugar certo para estarmos um nos braços do outro. Me ensinou a dividir sonhos, a dividir sorrisos, compartilhar a espera, a certeza do encontro e a esperança de muitos outros momentos juntos.
Meu amor é você!
Hoje... só você.

Linda inspiração, mas não minha...

Se alguém conhece essa flor, pode imaginar quão diferente e exótica ela é... capaz de inspirar, ser tema de música e uma das mulheres mais importantes na vida do Grandão... uma pessoa que admiro pela força, pela luta pelo seu lugar ao sol. Infelizmente não tenho muito o que falar, tivemos pouco contato físico, mas o pouco foi bom, pois não dá para expressar sentimentos quando não podemos. Não é justo e nem correto, mas desejo imensamente que um dia ela sinta o quanto queremos ser felizes juntos e o quanto a importancia desse amor nos fará bem. Por todo o tempo em que Deus permitir que esse amor dure. Para mim será por toda vida.

Pequenas e inesquecíveis recordações...

Muitas vezes da janela da minha sala eu ficava observando os beija-flores virem em bandos beber água nos bebebouros que eu colocava pendurado. Uma mistura de tipos, cores e tamanhos. Minúsculos a baterem as asinhas... houve um fato, num domingo perdido no tempo, eu e o Grandão sozinhos em casa ficamos vendo como eles se comportavam, nas idas e vindas... Ora nas flores do quintal, ora no fácil, água docinha. Inesquecível aquela tarde de sol, nós dois a contemplar algo tão perfeito.
E assim como muitos momentos nossos, eu e o Grandão gostamos desse contato com a natureza, das belezas naturais maravilhosas que já pudemos compartilhar juntos.
Nas lindas praias de Boiçucanga, nas ilhas que visitamos juntos.
Na Ilha do Cardoso, mais precisamente na praia de Marujá.
Em Barra Bonita, onde o Rio Tietê tem uma prainha que se pode nadar.
Num Hotel Fazenda em Guararema.
Em Pedras de São Domingos, onde o frio e a altitude fizeram diferença na noite que passamos juntos. Ou simplesmente pescando juntos.
Diversão garantida tanto para ele como para o barqueiro, pois numa dessas pescarias eu consegui fisgar vários "gordinhos", os famosos "baicaús"...

Os meus "gordinhos"... que quando a gente coça a barriguinha deles, estufam e ficam fofinhos. Fiz o Grandão rir muito cada vez que eu pescava um.
Cada um de nossos passeios teve algo em especial que nos marcou para sempre.
Muito bom ter o que recordar.
Muito bom saber que a felicidade existiu.
Muito bom acreditar que ainda teremos muitos momentos juntos.
Muito bom amar um homem que consigo me ver dentro do seu olhar, um homem que se comove com recordações, que é capaz de chorar diante de um triste lembrança.
Muito bom ser amiga do Grandão, pois é graças a essa amizade que podemos manter acesa a chama do nosso amor, um amor franco, sincero, mesmo que fiquemos muito tempo sem nos vermos.
Muito bom sentir saudade dele... meu grande e delicioso amor.

segunda-feira, 4 de junho de 2012

Menina da Lua... primeira música...

Menina da Lua Maria Rita
Leve na lembrança a singela melodia que eu fiz pra ti, oh bem amada
Princesa, olhos d'água, menina da lua
Quero te ver clara, clareando a noite tensa deste amor
O céu é teu sorriso no branco do teu rosto a irradiar ternura
Quero que desprendas de qualquer temor que sintas
Tens o teu escudo, teu tear
Tens na mão, querida, a semente de uma flor que inspira um beijo ardente
Um convite para amar
Quero que desprendas de qualquer temor que sintas
Tens o teu escudo, teu tear
Tens na mão, querida, a semente de uma flor que inspira um beijo ardente
Um convite para amar
Leve na lembrança a singela melodia que eu fiz pra ti, oh bem amada
Princesa, olhos d'água, menina linda


Essa música tocava na época em que eu e o Grandão começamos a sair... e a Lua Cheia sempre foi nossa grande aliada... quando e vejo no céu, sei que de alguma maneira o Grandão pensa em mim... Delícia!!!!

Nossas músicas... Parte 2

A Miragem

A Miragem Marcus Viana
Ah, se pudessemos contar as voltas que a vida dá
Pra que a gente possa encontrar um grande amor.
É como se pudessemos contar todas estrelas do céu,
os grãos de areia desse mar, ainda assim...
Pobre coração o dos apaixonados,
que cruzam o deserto em busca de um oásis, em flor
Arriscando tudo por uma miragem,
pois sabem que há uma fonte oculta nas areias,
Bem aventurados os que dela bebem,
porque para sempre serão consolados
Somente por amor a gente põe a mão
no fogo da paixão, e deixa se queimar,
Somente por amor,
movemos terra e céus,
rasgando sete véus, saltamos do abismo sem olhar pra trás
Somente por amor, e a vida se refaz...
Somente por amor a gente põe a mão
no fogo da paixão e deixa se queimar,
Somente por amor, movemos terra e céus,
rasgando sete véus, saltamos no abismo sem olhar pra trás,S
omente por amor.
A vida se refaz,
e a morte não é mais
pra nós...

Nossas músicas... parte 1

Mimar você!!

Mimar Você Caetano Veloso
Eu te quero só pra mim
Você mora em meu coração
Não me deixe só aqui
esperando mais um verão
Te espero meu bem
Pra gente se amar de novo
Mimar você
Nas quatro estações
Relembrar
O tempo que passamos juntos
Bem bom viver
Andar de mãos dadas
Na beira da praia
Por esse momento
Eu sempre esperei

Ah!! como é gostoso relembrar... Nosso primeiro Honey Moon a beira da praia... e o Grandão cantando essa música pra mim...

Nossas músicas...

Hoje a nossa principal música é a da Isabella Taviani....

Diga Sim Pra Mim Isabella Taviani
Eu pensei em comprar algumas flores
Só pra chamar mais atenção
Eu sei, já não há mais razão pra solidão
Meu bem, eu tô pedindo a sua mão
Então case-se comigo numa noite de luar
Ou na manhã de um domingo a beira mar
Diga sim pra mim
Case-se comigo na igreja e no papel
Vestido branco com bouquet e lua de me
lDiga sim pra mimSim pra mim
Eu pensei em escrever alguns poemas
Só pra tocar seu coração
Eu sei, uma pitada de romance é bom
Meu bem, eu tô pedindo a sua mão
Prometo sempre ser o seu abrigo
Na dor o sofrimento é dividido
Lhe juro ser fiel ao nosso encontro
Na alegria, felicidade vem em dobro
Eu comprei uma casinha tão modesta
Eu sei, você não liga pra essas coisas
Te darei toda a riqueza de uma vida
O meu amor


Case-se comigo... numa noite de luar..