Seguidores

sexta-feira, 28 de junho de 2013

Recomeçar do zero

Você já quis ter uma borracha especial para apagar algo que fez, que aconteceu, algo que doeu tão fundo ou teve consequências tão graves que você daria tudo para voltar atrás e recomeçar?
Há muitos que dariam tudo na vida para recomeçar do zero, ter uma nova oportunidade para agir diferente, tomar outras decisões, fazer diferentes escolhas.
E eu sei que muita gente já recomeçou uma nova vida, já deu uma volta importante que fez com que os caminhos mudassem de direção e isso sempre é possível.
Mas não é possível recomeçar do zero.
Recomeçar do zero não existe!
Não existe fingir que não houve um passado e não estar ligado a ele de alguma forma.
Não existe zerar o coração, nem as emoções, mesmo se passássemos nosso tempo voltando os ponteiros do relógio.
A verdade é que se pudéssemos recomeçar do zero, numa amnésia existencial, cometeríamos erros novamente, choraríamos de novo... porque não traríamos conosco essa carga de experiência que carregamos hoje, que às vezes até pesa, mas é nossa e isso não podemos negar, nem renunciar.
E é melhor assim: acreditar que tudo o que fizemos valeu de alguma forma.
Erramos? Sim, e daí?
Aquilo que reconhecemos como erro não faremos novamente e cada vez que tropeçamos e aprendemos com isso, colocamos algo mais na nossa bagagem da vida.
Lamentar por algo que não se teve?
Que perda de tempo!
As lamentações pelo que não fizemos não acrescentam nada na nossa vida.
Precisamos viver de coisas concretas, do que realizamos, do que tivemos, mesmo se as perdemos.
Quem nos julga deveria julgar-se primeiro.
Ninguém é de todo bom e de todo mau.
Não existem pessoas melhores que as outras, apenas as que ainda querem aprender e as que já perderam a esperança.
Quem não chora por fora, chora por dentro, a diferença é que nesse caso ninguém percebe.
É possível recomeçar a vida, com novas ambições, fazer do velho, o novo e com uma grande vantagem: dessa vez existirão os parâmetros de comparação, as chances serão maiores de tomar decisões acertadas.
Então, acredite: tudo o que você viveu até agora valeu a pena porque é dessa vivência que você tira seu aprendizado.
Se você tem 30, 50 ou 80 anos, você pode fazer sua vida diferente ainda, você pode olhar o mundo com olhos novos.


Deus não condena ninguém.
São as pessoas mesmas que se condenam quando cruzam os braços, imobilizam as pernas e colocam uma venda nos olhos.
A vida continua, mesmo se muitos desistem.
E ela é muito mais rica para aqueles que abrem os braços ao futuro, dão as mãos ao passado e recomeçam.
Essas pessoas jamais se sentirão sozinhas.
(Letícia Thompson)

quinta-feira, 27 de junho de 2013

Meio século....

Hoje acordei nostálgica pensando no que conquistei em meu meio século de existência... e nem é meu aniversário... logo farei 51 anos...
Senti e vi que sou feliz, que até agora tudo valeu a pena, e que o amor do Grandão, apesar das dificuldades, é o que me leva e sonhar ainda mais, ter esperanças de um viver repleto de harmonia, amor, muita alegria e paz.
Lógico que em meio as muitas dificuldades, valorizo os tesouros que conquistei, pois possuem um valor inigualável, e é justo e pleno...

Minhas filhas... que tanto amo..
Minhas netas, que me fazem sorrir sempre... Luz de meu viver...
Alegria do meu viver...
Sementinhas lindas de meu viver...

E assim vamos seguindo... esperando o amanhã...

Deixo uma citação de Augusto Cury:

Ser feliz é sentir o sabor da água, a brisa no rosto, o cheiro da terra molhada.
É extrair das pequenas coisas grandes emoções.
É encontrar todos os dias motivos para sorrir, mesmo se não existirem grandes fatos.
 É rir de suas próprias tolices.
É não desistir de quem se ama, mesmo se houver decepções.
É ter amigos para repartir as lagrimas e dividir as alegrias.
É ser um amigo do dia e um amante do sono.
É agradecer a Deus pelo espetáculo da vida...

quarta-feira, 26 de junho de 2013

O meu jeito de "gostar"...

(Eu acho que vi um gatinho)

O meu jeito de gostar..

Gosto da maneira de como as lembranças se encarregam de reviver meus momentos vividos, delicias e sensações jamais esquecidas.
Gosto de mudança, de ver que o tempo realmente cura toda a dor, mas nos apresenta uma nova.
Gosto da culpa que nos privamos de sentir quando algum princípio ou regra é quebrado, e temos a chance do perdão.
Gosto do medo de escuro que sempre é responsável pelos pés cobertos, mas tenho medo dos trovões.
Gosto de não precisar de você, mas te adorar com toda a força que posso, depositando qualquer resto de esperança ainda viva.
Gosto de poder sentir que o amanhã é responsável por mais algumas dores e mágoas, e mesmo assim, não ter vontade alguma de desistir (ou resistir).
Gosto de errar, pois aprendo a consertar e amadureço com isso. Sinto até prazer e gosto dos meus erros e simpatizo com eles.
Gosto do certo, mas o certinho me causa desconfiança. Antipatizo com o plenamente correto. Prefiro a minha infelicidade com flashes de felicidade momentânea...
Não gosto de esperar. Esperar não é para mim.

(Gosto de ser baixinha, apesar do homem ter mais de 2 mts)

Gosto de escrever o que penso e as vezes produzo teorias que não servirão para nada. Invento palavras que não existem, faço meu próprio dicionário. Curto até as palavras que meu amor inventa, pra mostrar que pensa em mim.
Crio definições que só eu uso e, ainda por cima, me mato de rir. Prefiro a minha insanidade com flashes de sanidade instantânea...
O que presta é o que me interessa. E aprendo com o que não presta. Amadureço com isso.
O que eu quero, agarro, pelo menos tento agarrar.
O que eu desejo, abraço, mesmo que momentaneamente seguro.
O que eu sonho, descrevo, penso, desenho e tento correr atrás.
O que eu imagino, escrevo, reescrevo, leio e releio, modifico e pronto!
O que eu sinto, as vezes escondo, noutras explicitamente mostro.
A perfeição está no meu humor, no sorriso estampado, mesmo com o coração rasgado.
Minha alegria está na minha emoção, na alegria da vida, nas nossas vidas...
Minhas imaginação está nas minhas linhas tortas e devaneios tolos.
Nem sempre minhas ações condizem com as minhas palavras, a realidade não deixa.
Me conheça. Me decifre. Me conquiste. Me devore. Me encontre, se ache e me ame.
Indiferente ao tempo, continuo a gostar das lembranças e aceitar o hoje, que amanhã será o passado que vou descrever no presente.

terça-feira, 25 de junho de 2013

Cheiros... e o amor....

Ontem antes de dormir, fiquei pensando e refletindo sobre tudo o que li a respeito do que escrevo, e nesse mesmo instante chovia muito, eram meus pensamentos misturados ao barulho da chuva nas àrvores em frente da minha janela, o gotejar contínuo nas calhas, era o som e o cheiro de mato e terra molhada, juntos, como melodia e inspiração...
E veio em minha mente “o cheiro”... E por assim ser, vou descrever alguns dos cheiros que gosto, não os perfumes... os cheiros típicos das coisas boas e deliciosas que fazem parte do meu mundo...
Eu sei que eu gosto desse cheiro que a chuva emana pelo ar.
Gosto de cheiro que vem da padaria pela manhã, anunciando pão quentinho.
Gosto do cheiro de carne de porco assada em época de Natal.
Gosto do cheiro do doce de goiaba, do doce de banana, doce de abóbora com coco quando eu faço e ficam um tempão no ar.
Gosto do cheiro de desinfetante a base de eucalipto que espalho depois de lavar o quintal.
Gosto do cheiro dos bolos que faço, do feijão, da pipoca, do suco de maracujá.
Assim como tudo de bom, gosto do cheiro do meu amor, o cheiro de sua pele, sem perfume, que me enlouquece de saudade...
Concluo então que aprecio os cheiros, que me fazem pensar, recordar, viver.

Tal qual escreveu Carlos Drummond de Andrade:

“Se você conseguir, em pensamento, sentir o cheiro da pessoa como se ela estivesse ali do seu lado… Se você achar a pessoa maravilhosamente linda, mesmo ela estando de pijamas velhos, chinelos de dedo e cabelos emaranhados… Se você não consegue trabalhar direito o dia todo, ansioso pelo encontro que está marcado para a noite… Se você não consegue imaginar, de maneira nenhuma, um futuro sem a pessoa ao seu lado… Se você tiver a certeza que vai ver a outra envelhecendo e, mesmo assim, tiver a convicção que vai continuar sendo louco por ela… Se você preferir fechar os olhos, antes de ver a outra partindo: é o amor que chegou na sua vida.”

segunda-feira, 24 de junho de 2013

Um perfume no ar...


Todos nós temos um cheiro, aquele, único, especial... E se usamos um perfume, ele muda conforme a nossa pele... Tal qual cada flor, única em exalar sua fragrância...
Hoje senti um cheirinho de perfume no ar, estava na rua, olhei para os lados e nada vi, mas era delicioso... algo delicioso de se sentir...
O perfume pode ser o mesmo, mas cada um, irá exalá-lo com uma fragrância singular, assim como o inalar também será diferente.
Todos os perfumes com seu encanto, sua magia, de fazer e acontecer.
Nós mulheres, fazemos de dar um jeitinho, naquilo que os homens não veem de jeito algum, usamos um creme perfumado, um sabonete, uma essência nossa para que ele sinta que é “para ele”, para suas narinas guardarem naquele chip de memória... que eu sei que alguns homens possuem...
O olhar dessas mulheres do cotidiano para o mundo, é forte, é saudável, é nosso!
Falo por mim, pois vemos a vida através das lentes do amor...
Daí, fiquei pensando e analisando o efeito da mulher em todos os sentidos... e isso tão somente por causa de um perfume no ar..


Num contexto geral... Mulheres...
Se amam, amam de verdade.
Se choram, não choram pela metade.
Se sorriem, fazem aquele barulho.
Se têm um lar, fazem dele o seu castelo, o seu refúgio, sua sentinela.
Se têm filhos, é Deus no céu, e eles na terra.
Se não gostam, o negócio é sério, a sensibilidade delas é aguçada.
Elas são fascinantes...
Se são amigas de verdade, não têm essa de maior idade. Fazem amizade com crianças e velhinhos, sem se importarem com as diferenças, sejam elas quais forem.
Se existe empatia, lá estão elas, se doando, se dedicando... fazendo o melhor que podem, sem esperar nada em troca.
Se avistam uma grávida acabando de entrar no ônibus, fazem aquele barulho dizendo: ei, ei, tem uma gestante de pé aqui, quem vai se prontificar?
Se alguém, seja estranho, seja vizinho, trata um de seus filhos mal... Chegam elas como leoas, bramando e já enchendo os pulmões, contando até dez para não se aborrecerem.
Se assistem a algum noticiário de pais que perderam seus filhos...
Sentem a dor junto com os mesmos, que ficaram sofridos.
E pensam: como a mãe deve estar?
Pedindo a Deus: “guarda meus filhos”.
Mulheres jamais podem ser rotuladas. Por mais que muitos o fazem.
Não existe mulher genérica, cada uma é original.
Foram escolhidas por Deus, para fazerem a diferença por toda a terra.

Como eu quero (Kid Abelha)

Às vezes uma música é algo bom para relembrarmos alguma passagem de nossa vida ou simplesmente para embalar nossos pensamentos. Ouvi essa música logo cedo, e gosto de lembrar momentos que vivo e vivi ao lado do meu amor...

Diz prá eu ficar muda
Faz cara de mistério
Tira essa bermuda
Que eu quero você sério...

Tramas do sucesso
Mundo particular
Solos de guitarra
Não vão me conquistar...

Uh! eu quero você
Como eu quero!
Uh! eu quero você
Como eu quero!...(x2)

O que você precisa
É de um retoque total
Vou transformar o seu rascunho
Em arte final...

Agora não tem jeito
Cê tá numa cilada
Cada um por si
Você por mim e mais nada...

Uh! eu quero você
Como eu quero!
Uh! eu quero você
Como eu quero!...

Longe do meu domínio
Cê vai de mal a pior
Vem que eu te ensino
Como ser bem melhor...

Longe do meu domínio
Cê vai de mal a pior
Vem que eu te ensino
Como ser bem melhor...
(Bem melhor!)...

Uh! eu quero você
Como eu quero!
Uh! eu quero você
Como eu quero!...(2x)

Uh! eu quero você
Como eu quero!
Uuuuuuuuuuhhh!
Uuuuuuuuuuhhh!...


Travessias da Vida


Finalzinho de domingo, inverno dando realmente as caras e mostrando seu poder, eu e o GG abraçados embaixo do cobertor, ficamos falando do tempo, das coisas que estão acontencendo a nossa volta. Falamos de nós, nossas expectativas, nossa realidade, a realidade que nos cerca, apenas sentindo o abraço, aquecendo nossos corpos e até rindo de nós mesmos, pois estamos envelhecendo, afinal se o tempo está passando depressa demais, nossa idade avança também...
Hoje, refletindo o ontem, fui buscar em meus arquivos alguns textos que acho interessante, encotrei um de Letícia Thompson que fala sobre: Travessias da Vida...
Resolvi compartilhar:



As oportunidades da vida são como as brisas nas noites quentes de verão, elas vêm e vão e precisamos aproveitar cada minuto quando estão presentes para nos preparar para o depois.
E quantas vezes elas chegam, vemos, somos conscientes, mas não fazemos nada. Duvidamos, simplesmente, de nós!
São nossas barreiras emocionais, a insegurança, o medo, a falta de fé, que paralisam nossas pernas. Mas Deus jamais nos diz para atravessar sem que Ele mesmo nos forneça os meios para chegar do outro lado. Se não vamos, é porque confiamos demais nesse nosso lado humano e de menos na nossa parte que mais se parece com Deus, nosso lado espiritual.
A guerra que se estabelece na nossa cabeça nos momentos de escolha é muito comum e todo mundo passa por isso, sem exceção. Há um lado que nos impele de ir em frente e o outro que nos enche de dúvidas. "E se?" "E se não der certo?" "E se eu não for capaz?" "E se não for isso?" As desculpas que nos achamos para nos fazer desanimar são quase sempre mais evidentes e, não raro, muitos se apegam a elas e param no meio do caminho, ou seguem outra direção, como aconteceu com Jonas.
Penso em Moisés, quando Deus pediu que fosse libertar o povo de Israel. Ele duvidou e tentou se desculpar dizendo que tinha problemas para falar. Mas o Senhor, com Sua infinita sabedoria, retrucou que ele não estaria sozinho. E não estava mesmo. E foi, libertou o povo, o conduziu. Cumpriu assim a sua parte e tornou-se parte da história da humanidade.
É nosso bom relacionamento com Deus que faz a diferença. Como no amor ou amizade, onde quanto mais próximos estamos de uma pessoa, mais acreditamos nela, mais confiamos.
Quando as oportunidades baterem à sua porta, antes de dizer não com um monte de desculpas que nem você mesmo acredita, olhe para o alto. Se uma vozinha responder dentro do seu coração e sua alma se encher de paz, é que você fez a boa escolha. Vá, então, em frente! Não espere ver todas as soluções de uma vez só, as flores nascem cada uma a seu tempo e há frutos para todas as estações.
Deus, que olha por você, vai plantar no seu caminho, vai te dar coragem, vai te motivar e te empurrar quando for preciso. Ele nunca nos prometeu um caminho sem dificuldades, um mundo sem aflições, mas nos disse para termos bom ânimo.
Moisés, guiado por Deus, atravessou o mar. Não há nenhuma razão para que não atravessemos a vida como mais que vencedores. 

sexta-feira, 21 de junho de 2013

O que é eterno mesmo?

O que é eterno? Existem vários tipos de explicações para isso, mas pra mim... bem diferente...
Ontem fiquei um tempão analisando sobre isso...
E sabe o motivo?
Esperei horas por um “oi”, duas letrinhas que aliviariam minha alma, preocupada com a hora e o tempo...
Minutos que pareciam uma eternidade... daí pensei no sentido real da palavra... e explicar isso, lembrei de ter lido uma vez isso da escritora Martha Medeiros que também esperou por um sinal de fumaça e pra ela não veio, mas pra mim chegou hoje as 5H00.
Então... o que é eterno mesmo?


Eterno, é tudo aquilo que dura uma fração de segundo, mas com tamanha intensidade, que se petrifica, e nenhuma força jamais o resgata....
E num dia, numa fração de segundos percebemos um montão de coisas...
E por ser assim...
Um dia descobrimos que se apaixonar é inevitável...
Um dia percebemos que as melhores provas de amor são as mais simples...
Um dia percebemos que o comum não nos atrai...
Um dia saberemos que ser classificado como o "bonzinho" não é bom . .
Um dia perceberemos que a pessoa que nunca te liga é a que mais pensa em você...
Um dia percebemos que somos muito importante para alguém, mas não damos valor a isso...
Um dia percebemos como aquele amigo faz falta, mas ai já é tarde demais...
Enfim...
Um dia descobrimos que apesar de viver quase um século esse tempo todo não é suficiente para realizarmos todos os nossos sonhos, para dizer tudo o que tem que ser dito...
O jeito é: ou nos conformamos com a falta de algumas coisas na nossa vida ou lutar para realizar todas as nossas loucuras...
Quem não compreende um olhar tampouco compreenderá uma longa explicação.
Então, vamos aproveitar sempre, quando podemos estar juntos.

quinta-feira, 20 de junho de 2013

Os dias intensos... a vida, o amor e o tempo...


Ultimamente tenho vivido intensamente todos os dias, as 24 horas voam... desde o acordar até em sonhos quando vou dormir...
Voam os minutos em que estou ao lado das minhas filhas e netas, ao lado do Grandão.
Voam os minutos em que brinco com os meus cachorros, voam os minutos em que invento cozinhar algo novo ou simplesmente no jardim. As vezes mal começo o dia e ele parecer estar terminando... em minutos saio de casa e em outros já estou trabalhando...
Puxa!!! Como está passando depressa... a única certeza é que a cada dia vamos envelhecendo, perdendo a energia da juventude... e esperando a tão sonhada alegria de viver! Viver com mais amor, mais tudo!

Li isso sobre o tempo e amei!!! Então, vamos usar e abusar do tempo livre para dar e receber amor, carinho e dar mais atenção as pessoas que fazem parte de nosso mundo e compõem a nossa história na Terra.

Parece que nossa vida gira em torno do tempo, de uma maneira ou de outra. Cada segundo que encapsula sua vida compõe você, desde o primeiro fôlego até seu último suspiro. Essa ampulheta funciona até seu tempo terminar, terminando assim o jogo da vida. Sua vida, afinal, é o resultado total de como você emprega seu tempo.
Muitas pessoas acreditam que existe uma contabilidade quando o jogo termina. Essa contabilidade tabula o resultado do que você fez da sua vida. Você fez parte da solução ou do problema? Minimizou ou exacerbou os desafios? Na contabilidade final, os bens, status e saldos bancários não contam. A única coisa relevante é a maneira que você optou para utilizar o tempo que recebeu.
Você tem exatamente o tempo que lhe foi destinado, nem mais, nem menos. Como diz o ditado, "é usá-lo ou perdê-lo". Já que sua vida consiste na soma total das escolhas relativas à utilização do tempo, é lógico que o nível de sucesso que você atinge na vida vai depender diretamente da sensatez com você utilizou seu tempo.

quarta-feira, 19 de junho de 2013

Seu corpo (Roberto Carlos)

Seu Corpo

No seu corpo é que eu me encontro
Depois do amor o descanso
E essa paz infinita
No seu corpo minhas mãos
Se deslizam e se firmam
Numa curva mais bonita

No seu corpo meu momento é mais perfeito
E eu sinto no seu peito o meu coração bater
E no meio desse abraço eu me amasso e me entrego pra você

E continua a viagem
No meio dessa paisagem
Onde tudo me fascina
E me deixo ser levado
Por um caminho encantado
Que a natureza me ensina

E embora eu já conheça bem os seus caminhos
Me envolvo e sou tragado pelos seus carinhos
E só me encontro se me perco no seu corpo

O bem e o mal... O bom e o ruim...

"Uma decepção pode diminuir o tamanho de um amor que parecia ser grande. Uma ausência pode aumentar o tamanho de um amor que parecia ser ínfimo. É difícil conviver com esta elasticidade: as pessoas se agigantam e se encolhem aos nossos olhos. Nosso julgamento é feito não através de centímetros e metros, mas de ações e reações, de expectativas e frustrações."
(Martha Medeiros)


Hoje preciso desabafar um pouco, pois as pessoas precisam saber que erro, acerto, sou na maioria das vezes muito boa, mas como todos tambem tenho meu lado ruim, meu lado maluco, louco e sensual. Estou vivendo, correndo atrás de meus sonhos, se eles vão dar certo é outra história. Estou andando por aí, tentando encontrar o melhor caminho, tentando ajudar sempre, tentando dar o melhor que posso as pessoas que precisam, nem sempre podemos o tempo todo agradar a todos. Somos diferentes, fomos criados diferentemente, tivemos educação religiosa diferente, padrão de vida diferentes, pais diferentes, mundos diferentes... Sinto em não ser o que gostariam que eu fosse, fico triste pelas pessoas, pois gosto do sorriso no rosto, de receber ajuda quando preciso... Sou grata sempre as pessoas que fazem parte de minha história de vida, como personagens principais, coadjuvantes ou apenas figurantes, aprendo com todos, todos os dias....


A vida é feita de gente boa e ruim.
Alguns dias são bons e outros ruins.
Existem sentimentos bons e ruins.
Tudo é na base do bom e do ruim.
O bem e o mal.
A gente aprende isso desde cedo, tem o mocinho e o bandido. O ladrão e a polícia.
E algumas pessoas valem o ruim, o estragado, o sem gosto.
De vez em quando é pior não ter gosto de nada do que ter um gosto azedo. Algumas pessoas valem isso.
Acho que esse é o ponto máximo do amor máximo. Não que ele precise ser medido ou explicado.
O amor dispensa maiores definições. Ele se auto-explica.
Só penso que quando a gente tem o coração cheio desse sentimento, tudo fica claro. E a gente não precisa ter medo de cruzar com alguém ruim no caminho. Elas nos fortalecem, ensinam. Algumas delas, inclusive, até valem o mundo (ainda que por um curto tempo).
Quem nunca se decepcionou? Quem nunca pensou assim fulana-é-minha-melhor-amiga-beltrano-é-o-cara-dos-meus-sonhos?
Nessa hora, eles valem o mundo. Depois, tudo muda, valem pouco ou quase nada, afinal não mudam em nada a nossa vida.
O que importa é o momento em que a pessoa efetivamente valeu o seu mundo.

terça-feira, 18 de junho de 2013

Eu e você, você e eu...

Ah! Amor...
É tão gostoso viajar pelos encantos do teu corpo! Como é excitante, delirante te beijar, e ficar colada a você num abraço.
Na maravilhosa viagem pelo teu corpo, adoro o seu beijar... o seu cheiro, seu calor..
E carinhosamente, com meus lábios e minha língua, consigo do meu jeito chegar até o ponto mais excitante e sensual do teu sexo...
Assim como meus lábios, é inebriante quando minhas mãos colam em tua pele, em seus pelos no peito, e deslizando suavemente, sentir seu corpo relaxado... você só apreciando e sorrindo.
Ah! Minhas mãos... suas mãos...
Quando navegam, quando perambulam em teu corpo, pelo meu corpo...
Parecem ondas indo em direção aos seus mais distantes rochedos, ou apenas nas areias da praia ficarem...


Viajando por teu corpo inteiro, sinto tua pele colada na minha, e em movimentos lentos e rápidos, sinto você em mim e eu em você, como duas metades que se encaixam...
Nos instantes de êxtase, nos momentos mais eróticos do nosso amor, teu cheiro me envolve, tuas carícias me fazem sonhar acordada, e os sons que saem dos teus lábios, me enlouquecem
Um desejo intenso, duas almas dando as mãos...
Nesse passeio pelo teu corpo encontro prazeres únicos e especiais...sinto que minha pele é um complemento da tua... e a tua é a continuação da minha...
Sinto que nossos espíritos se completam... E que a certeza do nosso amor se acentua dia após dia!
Sei que descobri horizontes ao seu lado, encontro sempre grandes emoções, e eu sei que ao seu lado tudo é nosso, quase perfeito.
Ao seu lado descobri a dimensão do infinito, que é o que quero para nossas vidas juntos.

O amor não acaba, nós é que mudamos (Martha Medeiros)


Um homem e uma mulher vivem uma intensa relação de amor, e depois de alguns anos se separam, cada um vai em busca do próprio caminho, saem do raio de visão um do outro. Que fim levou aquele sentimento? O amor realmente acaba?
O que acaba são algumas de nossas expectativas e desejos, que são substituídos por outros no decorrer da vida. As pessoas não mudam na sua essência, mas mudam muito de sonhos, mudam de pontos de vista e de necessidades, principalmente de necessidades. O amor costuma ser amoldado à nossa carência de envolvimento afetivo, porém essa carência não é estática, ela se modifica à medida que vamos tendo novas experiências, à medida que vamos aprendendo com as dores, com os remorsos e com nossos erros todos. O amor se mantém o mesmo apenas para aqueles que se mantém os mesmos.
Se nada muda dentro de você, o amor que você sente, ou que você sofre, também não muda. Amores eternos só existem para dois grupos de pessoas. O primeiro é formado por aqueles que se recusam a experimentar a vida, para aqueles que não querem investigar mais nada sobre si mesmo, estão contentes com o que estabeleceram como verdade numa determinada época e seguem com esta verdade até os 120 anos. O outro grupo é o dos sortudos: aqueles que amam alguém, e mesmo tendo evoluído com o tempo, descobrem que o parceiro também evoluiu, e essa evolução se deu com a mesma intensidade e seguiu na mesma direção. Sendo assim, conseguem renovar o amor, pois a renovação particular de cada um foi tão parecida que não gerou conflito.


O amor não acaba. O amor apenas sai do centro das nossas atenções. O tempo desenvolve nossas defesas, nos oferece outras possibilidades e a gente avança porque é da natureza humana avançar. Não é o sentimento que se esgota, somos nós que ficamos esgotados de sofrer, ou esgotados de esperar, ou esgotados da mesmice. Paixão termina, amor não. Amor é aquilo que a gente deixa ocupar todos os nossos espaços, enquanto for bem-vindo, e que transferimos para o quartinho dos fundos quando não funciona mais, mas que nunca expulsamos definitivamente de casa.

segunda-feira, 17 de junho de 2013

Para que serve uma relação (Drauzio Varella)

Para que serve uma relação:

‘Uma relação tem que servir para tornar a vida dos dois mais fácil.’
Vou dar continuidade a esta afirmação porque o assunto é bom e merece ser desenvolvido.
Algumas pessoas mantêm relações para se sentirem integradas na sociedade, para provarem a si mesmas que são capazes de ser amadas, para evitar a solidão, por dinheiro ou por preguiça.
Uma relação tem que servir para você se sentir 100% à vontade com outra pessoa; à vontade para concordar com ela e discordar dela, para ter sexo sem não-me-toques ou para cair no sono logo após o jantar, pregado.
Uma relação tem que servir para você ter com quem ir ao cinema de mãos dadas, para ter alguém que instale o som novo enquanto você prepara uma omelete, para ter alguém com quem viajar para um lugar distante, para ter alguém com quem ficar em silêncio sem que nenhum dos dois se incomode com isso.
Uma relação tem que servir para, às vezes, estimular você a se produzir, e, quase sempre, estimular você a ser do jeito que é, de cara lavada e bonita a seu modo.
Uma relação tem que servir para um e outro se sentirem amparados nas suas inquietações, para ensinar a confiar, a respeitar as diferenças que há entre as pessoas, e deve servir para fazer os dois se divertirem demais, mesmo em casa, principalmente em casa.
Uma relação tem que servir para cobrir as despesas um do outro num momento de aperto, e cobrir as dores um do outro num momento de melancolia, e cobrirem o corpo um do outro quando o cobertor cair.
Uma relação tem que servir para um acompanhar o outro no médico, para um perdoar as fraquezas do outro, para um abrir a garrafa de vinho e para o outro abrir o jogo, e para os dois abrirem-se para o mundo, cientes de que o mundo não se resume aos dois.

Tudo passa. não é mesmo?


TUDO PASSA, NÃO É MESMO?

Mais um final de semana se foi e sei que vou demorar para dormir, então escrever, escrever.
Antes de dormir, como sempre, é hora de agradecer.
Agradeço a Deus por meus familiares, o meu amor e sua turminha: estão todos bem, na medida do possível de cada um.
Agradeço por mim mesma, agora deitada com todo conforto, cama quentinha, roupa quente, edredom e meias nos pés.
É bem verdade que estou muito preocupada. Sei que não deveria me sentir assim.
Aprendi que, se fizer a minha parte, nada terei a temer, Deus cuidará de mim. Mas é sempre assim... Fico angustiada e entregue às preocupações. 
Depois, essa sensação desagradável acaba passando. Tudo passa, não é mesmo?
Nada como um dia depois do outro, é popular o dito... 
Mesmo sabendo disso, mesmo lembrando que já enfrentei dificuldades muito piores, continuo aflita. Acho que não tenho fé necessária, não confio em mim mesma. 
Melhor dizendo: Estou certa de que não tenho mesmo essa fé. 
Peço todas as noites a mesma coisa: paz, saúde, prosperidade e que todos os problemas encontrem solução. Esse é sempre o meu pedido, e óbvio viver feliz ao lado do meu grande amor, mas que as vezes vira areia de praia e tenta fugir pelo vão de meus dedos, por culpa minha mesmo.
Até parece que repito essa prece para lembrar o Papai do céu não esqueça de me atender, principalmente quando peço a tal felicidade.
Pensando bem, não é a mais pura falta de fé em mim mesma? 
Mesmo assim, essa oração serve para me aproximar do Pai do Céu e me manter firme no meu propósito, mesmo sentindo que me falta fé... (Estou sendo redundante, mas é isso aí).
É uma forma que encontrei de partilhar minhas emoções, meus pensamentos e dizer que preciso muito do Seu carinho e do Seu amor. 
Divagando, imagino que, nesse mesmo instante, milhões de pessoas também estão conversando com Ele. O mais incrível é que todas são ouvidas, compreendidas e atendidas segundo sua necessidade e merecimento.
Cada uma se expressa do seu jeito - muitas imaginam que somente elas são ouvidas  por Deus. Que ingenuidade... 
Gostaria de ficar um bom tempo conversando mas o sono está chegando. 
Quem sabe, quando meu corpo dormir, eu possa, em espírito**, continuar conversando com Deus.
Amanhã, ao despertar – e durante todo dia –, pretendo continuar essa conversa.
Espero ganhar de Deus, serenidade para enfrentar muitos problemas. 
Mas já é tarde. É difícil controlar o sono...
Amanhã preciso levantar bem cedo. 

"Cada manhã  traz uma benção escondida
uma benção que só serve para esse dia e que não se pode guardar nem desaproveitar.
Se não usamos este milagre hoje, ele vai se perder.
Este milagre está nos detalhes do cotidiano, é preciso viver cada  minuto porque ali encontramos a saída de nossas confusões, a alegria de nossos bons momentos, a pista correta para a decisão que tomaremos.
Nunca podemos deixar que cada dia pareça igual ao anterior porque todos os dias são diferentes, porque estamos em constante processo de mudança.”
(Paulo Coelho)

sexta-feira, 14 de junho de 2013

Salvo pela gentileza (desconheço o autor)

Recebi um texto hoje equero compartilhar: Salvo pela gentileza

Conta-se uma história de um empregado em um frigorifico da Noruega.
Certo dia ao término do trabalho foi inspecionar a câmara frigorifica. 
Inexplicavelmente, a porta se fechou e ele ficou preso dentro da câmara. Bateu na porta com força, gritou por socorro mas ninguém o ouviu, todos já haviam saído para suas casas e era impossível que alguém pudesse escutá-lo. Já estava quase cinco horas preso, debilitado com a temperatura insuportável.
De repente a porta se abriu e o vigia entrou na câmara e o resgatou com vida.
Depois de salvar a vida do homem, perguntaram ao vigia:
- Porque foi abrir a porta da câmara se isto não fazia parte da sua rotina de trabalho ?.
Ele explicou:
- Trabalho nesta empresa há 35 anos, centenas de empregados entram  e saem aqui todos os dias e ele é o único que me cumprimenta ao chegar pela manhã e se despede de mim ao sair. Hoje pela manhã disse “Bom dia” quando chegou. Entretanto não se despediu de mim na hora da saída. Imaginei que poderia ter-lhe acontecido algo. Por isto o procurei e o encontrei...

Pergunta: - Será que você seria salvo?

Comecei bem o meu dia....


Um fato inusitado hoje, pois como pego dois ônibus para ir ao trabalho, no primeiro, a mesma rotina.... mas no segundo.... (rs*)
Mesmo horário, mesmo ônibus, mesmo trajeto de ida ao trabalho, mesmas preocupações diárias, quase o mesmo pessoal de sempre, nada diferente, até que do nada uma bela moça entra no coletivo e pergunta sobre o destino do mesmo, e com essa informação senta ao meu lado. Dava para notar que estava ansiosa, de repente até um pouco nervosa, me olha, sorri e pergunta: - Demora muito para chegar ao destino?
Eu respondo: - Uns 15 minutos.
Ela olha para o relógio, mentaliza algo e começa a fuçar dentro da bolsa, como que conferindo se tudo está ali dentro.
E assim, começa a puxar papo.
Dou trela e com um sorriso peculiar meu vejo empolgação no rosto dela, logo me diz que está indo fazer um teste numa agência importante, me perguntou se ela era feia, pediu para eu olhar bem pra ela, olhei e disse que ela era sim muito bonita.
Em seguida disse que era a chance dela mudar de vida, que ela tinha que estar bem disposta, que foi orientada para que tivesse tido uma noite de sono, mas ela disse que estava tão ansiosa que nem dormiu direito. Perguntou para eu olhar de novo para ela e ver se tinha olheiras. Eu disse que não.
Até aí, tudo bem... Daí ela pergunta para mim: - Você tem filhos?
E eu respondo: - Duas filhas e duas netas.
Ela me admira, olha bem e diz que nem pareço ser mãe, quanto mais avó e diz que eu a entenderia.
Agradeci ao elogio e ela começa a contar que está indo fazer o teste indicado por um amigo, que se passar, a grana será muito boa e ela poderá comprar muitas coisas para o filho pequeno, que deixou dormindo na casa da mãe dela. Disse que tinha que mudar de vida, dar condições para o filho e para a mãe, e que moravam os três juntos. Casa própria dos pais, mas modesta.
Contei também minha filha caçula morava comigo e com a minha neta, e que batalhar para dar o melhor aos filhos é gratificante e que entendo sim quando temos nosso esforço e dedicação como incentivo a mudar de vida.
Pois bem, ela relata o atual emprego de recepcionista num hotel de São Paulo, até disse que é um bom hotel, e me diz que não ganha mal, mas os horários a impedem de estar mais ao lado do filho, pois o horário dela começa logo após o almoço e se estende até as 22 horas, e que mais trabalho quase não o veria. Mas, que esse teste poderia dar uma ajeitada na vida, pois os trabalhos são sempre de manhã e esporádicos, mas com cachês bons.
O trajeto é rápido, chegamos ao destino e desejo-lhe boa sorte, ela me pede um abraço e disse que sentiu por mim um carinho pelo meu olhar.
E ao sairmos ela disse: - Quando eu for famosa, vou lembrar de você, você tem carinha de anjo...
E eu respondo: - Estou longe de ser um anjo...
E dando um sinalzinho de adeus ela diz: - Você que pensa!...
Comecei bem o meu dia...