Seguidores

segunda-feira, 2 de janeiro de 2017

CARTA DE ANO BOM - FELIZ 2017


 


CARTA DE ANO BOM

Entre um ano que se vai

E outro que se inicia,

Há sempre nova esperança,

Promessas de Novo dia...

Considera, meu amigo,

Nesse pequeno intervalo,

Todo o tempo que perdeste

Sem saber aproveitá-lo

 

Se o ano que se passou

Foi de amargura sombria,

Nosso Pai Nunca está pobre

Do pão de luz da alegria.

 

Pensa que o céu não esquece

A mais ínfima criatura,

E espera resignado

O teu quinhão de ventura.

 

Considera, sobretudo

Que precisas, doravante,

E espera resignado

O teu quinhão de ventura.

 

Considera, sobretudo

Que precisas, doravante,

Encher de luz todo o tempo

Da benção de cada instante.

 

Sê na oficina do mundo

O mais perfeito aprendiz,

Pois somente no trabalho

Teu ano será feliz

 

Não esperes recompensas

Dos bens da vida terrestre,

Mas, volve toda a esperança

A paz do divino Mestre.

 

Nas lutas, nunca te esqueça

Deste conceito profundo:

O reino da luz de Cristo

Não reside neste mundo.

 

Não olhes faltas alheias,

Não julgues o teu irmão,

Vive apenas no trabalho

De tua renovação.

 

Quem se esforça de verdade

Sabe a prática do bem,

Conhece os próprios deveres

Sem censurar a ninguém.

 

Ano Novo!... Pede ao Céu

Que te proteja o trabalho,

Que te conceda na fé

O mais sublime agasalho.

 

Ano Bom!... Deus te abençoe

No esforço que te conduz

Das sombras tristes da Terra

Para as bênçãos de Jesus.

Casimiro Cunha – Psicografia de Chico Xavier

sexta-feira, 12 de fevereiro de 2016

Dia 10/02 - Férias

 Ponte Rio Niterio
 Cabo Frio
 Dunas de Cabo Frio 
 Arraial do Cabo
 Pousada Ponta Praia

domingo, 7 de fevereiro de 2016

Contagem regressiva - 1 - enfim férias

E enfim.... férias! 
As próximas postagens serão  fotos das aventuras das férias. 

sexta-feira, 5 de fevereiro de 2016

Contagem regressiva - 2


Faltando tão pouco, ou seja, em ritmo de férias... quero deixar um carinho marcado, de pessoas que me fazem um bem enorme e que nos encontramos 2 vezes por ano, um na Páscoa e outro no Natal...

E deixo um texto em homenagem a essa nossa amizade de "dezenas" de anos...

"As maravilhosas"



A força da nossa amizade vence todas as diferenças...
Aliás... para que diferenças se somos amigos?
Quando erramos... nos perdoamos e esquecemos
Se temos defeitos... não nos importamos...
Trocamos segredos...
e respeitamos as divergências...
Nas horas incertas, sempre chegamos no momento certo...
Nos amparamos...nos defendemos...
sem pedir...
fazemos porque nos sentimos felizes em fazer...
Nos reverenciamos... adoramos... idolatramos... apreciamos... admiramos.
Nos mostramos amigas de verdade,
quando dizemos o que temos a dizer...
Nos aceitamos , sem querer mudanças...
Estamos sempre presente,
não só nos momentos de alegria,
compartilhando prazeres,
mas principalmente nos momentos mais difíceis...





quinta-feira, 4 de fevereiro de 2016

contagem regressiva - 3


Aos poucos as coisas vão se encaixando, os ânimos melhorando, e a aceitação da nova estrutura de trabalho seguindo em frente... Muito difícil tudo... Pq vi pessoas que como eu, mais de uma, duas décadas de empresa... recomeçar algo complicado nos dias atuais...
E assim vamos...



Encontrei em minhas buscas da madrugada textos para descrever os meus sentimentos e aos poucos vou publica-los... Uns de saudade, outros de amor, outros de medo, outros de incertezas.. muitos... e gostoso compartilhar





Perdido

A gente vai perdendo as coisas,
E vai achando as coisas perdidas.
Vai tolerando o intolerável
Murmúrio das frases desconexas.
Que vem do fundo das doidas avenidas.
Entre um absurdo e um canteiro.
Vai arquivando as faltas anexas;
A um sonho de vagar a esmo.
Metade mesmo de um pequeno inteiro.
E moldando a massa do corpo
Ao fumo da alma breve.
Ressuscitando sempre o mesmo morto.
Como um cumprimento mecânico
A um ser invisível entre os fogos santos.
E as auroras tristonhas e elevadas,
A um sol de outro mundo e mantos,
Tingidos de sangue...E flores pintadas
A mão ferida da promessa extinta,
Apenas pra ter onde prender o olhar.
Enquanto morriam as tardes sob o mar.
E enquanto era assim
Urgente apenas silenciar!

Claudia Morett