Seguidores

sexta-feira, 17 de maio de 2013

Um amor de outras vidas... Vidas passadas...

Hoje, na rotina de toda manhã, na ida ao trabalho o encontro das mesmas pessoas de sempre, as mesmas conversas banais sobre o tempo, sobre a violência urbana, sobre algo de relevante que aconteceu no dia anterior, seja futebol, política ou novelas.
Daí, sentei ao lado de uma senhora que vejo sempre, uma pessoal linda, uma aposentada que pega 3 conduções para chegar ao trabalho no Morumbi, como cozinheira para uma família de empresários.
Hoje percebi que ela estava triste, e perguntei se ela queria falar sobre sua tristeza, foi quando com lágrimas nos olhos me contou da saudade que estava sentindo do marido já falecido, do amor que viveu durante anos, da ausência dolorida dele hoje, das alegrias que viveram juntos, da parceria e até o último dia de sua vida.
Me contou dos últimos momentos dele na cama do hospital, onde ele mesmo com sonda e cheio de amor nos olhos pediu a ela que o tocasse intimamente, pois ele estava com saudades das mãos dela no seu corpo, estava com vontade de sentir também o do corpo dela, mas ali não podia, mas que ele voltaria para casa, só que ele não voltou. Pediu que o beijasse, que passasse a mão pelo seu corpo e ela disse que não teve coragem, pois ele estava todo monitorado. Ficou com vergonha, mas que hoje sentiu que deveria ter tocado, beijado, dado a ele aquele mínimo momento de prazer.
Vi lágrimas de um amor que o tempo não apagou. Vi uma senhora apaixonada, afogada pela saudade de um amor tão intenso.
Ela me disse que o marido era fogoso, a procurava todas as noites, eram apaixonados, mesmo quando a velhice chegou, eles tinham o mesmo tesão, se amavam quase todos os dias e que se não fosse pela morte, estariam na mesma alegria de sempre e que quando o viu partir não sabia o que fazer, se apegou ao trabalho. Hoje fariam aniversário de casamento, por isso a tristeza em seus olhos e as lágrimas que me comoveram muito.

Me disse para amar meu Grandão muito, pois é esse amor que a faz acreditar num encontro em outra vida... Prometi ama-lo por toda vida!
Chegou meu ponto, desci...
Pensando sobre tudo o que ouvi hoje, percebi que eu nunca precisei de muito para estar feliz, mas ao lado do meu amor hoje, é como se a felicidade tentasse sair pelos poros.
Sempre tive os amores alheios, histórias de amor dos outros para pontuar os meus textos, minhas histórias meio tortas pra humanizar minha gratidão pela vida e aprendi que palavras também enfeitam silêncios, até surgir a minha história de amor.
E estava mais que conformada com a vida sendo assim: dias úteis, feriados, sol e frio, chuva e vento, um breve amor trazido pela brisa.
E uma dose de esperança para iluminar o meu rosto.
Mas quando o meu corpo encontrou esse amparo que é o seu, pensei: "em algum sonho eu já estive aqui neste mundo e devo ter vivido uma linda história e ela deve não ter terminado, por isso nos encontramos novamente". Um reencontro de vidas passadas.
Eu sabia que era possível um amor assim, talvez porque tivesse lido em algum livro.
Eu sabia que era bonita uma história plena, talvez eu tenha visto no cinema.


Mas esse amor quase que perfeito, sendo real e possível, talvez eu nunca tenha concebido na sua plenitude na outra vida.
Agora eu entendo as coisas que foram ficando pelo caminho, as frases que se atiraram dos meus versos, as dedicatórias só com as iniciais de algum nome perdido, os conflitos que encarei mesmo quando havia apenas um cansaço. Agora entendo por que eu celebrava o que eu tinha e o que perdia. O quanto eu me preocupei em me lapidar e viver em harmonia, o quanto eu precisei escutar pra entender quando era a hora errada ou pra poder saber dizer a coisa certa. É porque eu precisava estar pronta na sua chegada. E você demorou mas veio, veio lindo, delicioso e do jeito que sonhava.
Falar do nosso amor é tão difícil porque não encontro um tamanho assim nas frases. Ele é essa poesia fluida, inacabada, uma estrofe acrescentada a cada dia.
A metáfora perfeita que se dá em cada beijo.


Eu me emociono, meu amor, por essa perpétua manhã que você abre em mim, quando abro os olhos e vem você em meus pensamentos. Te digo um bom dia em mente, te beijo, te abraço e digo que te amo, sopro ao vento ou na simples brisa da manhã, seja ela fria ou não. Hoje amanheceu mais fria, mas foi um beijo quente que te enviei.
Eu me comovo por receber diariamente essa primavera emocional no meu peito, a alegria de saber que vivi bons momentos ao seu lado.
Essa alegria que você sabe expandir quando eu pensava que nem era mais possível, e que me desmancho quando o vejo chegar, cansado, mas pronto para o amor.
Não há como falar sobre você sem entrar num total estado de gratidão, pois minha vida não tem sentido se você não estiver nela.

Amo amar meu Grandao!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário